"A CONSCIÊNCIA É TAQUIÔNICA, ELA NÃO É QUÂNTICA".


Imprimir

Postado em 24.09.2013.

Por: Dilmar Dutra Biomédium, Escritor Científico e Espiritual.

Fonte: Diversas Consciências Espirituais, desencelularizadas e descorporificadas em interação cognitivo e mediúnico, com o Biomédium em questão Encelularizado e corporificado, explicando que a “Consciência” são fragmentos em subpartículas subjetivas, da “Mente Psique Espírito”, em estado Taquiônico ou Holográfico, sem peso, massa e corpo.

.

 

Na verdade. A Consciência digere as informações, classifica e organiza os genes de memorias, alocando-os conforme o grau codificado, entre a diversidade de memorias, que interagem com os corpos simbióticos, com torções biológicas e plasticidade morfo ou morfogenética, interconectados com todos os sistemas vivos Encelularizados em simbiose molecular.

Por que as Consciências não são Quânticas?

Resposta: Porque elas (consciências) não são físicas nem materializadas com peso massa e corpo, holograficamente, ou subjetivamente, sem peso, massa e corpo, elas interagem via células e moléculas, ou por endocelularização, com os genes da existência com memorias, sejam: subatômicas, atômicas, filo, filogenéticas, proteicas, inorgânicas, orgânica, culturais, cerebrais, etc. (Observação: Existe memória em tudo, seja morfo ou morfogenético).

Nestas condições holográficas e subjetivas, como fragmentos da “Mente Psiquê Espirito”, sem peso, massa e corpo, as Consciências são Taquiônicas, ou constituídas de Taquiôns, ou ainda, um tipo de Bóson de posta peso, massa e corpo, dependendo do electromagnetismo, criado na “não localidade” da essência, e é manifestado na “localidade” corporificada, da existência quântica ou materializada.

Essas ondas, ou subpartículas subjetivas, de “Consciências fragmentadas”, vêm da chamada singularidade, onde são criadas e codificadas, para interagirem com as células/moléculas da existência, corporificada por essa matriz celular que combina, recombina em simbiose, com moléculas de águas, luz, gases atmosféricos, RNA, DNA, ATP, mTOR, etc. para assim, estabelecer a vida e a morte, como “Cadeia alimentar de presas e predadores”. Para que a Morte sustente a Vida.

O código MORTE é impermanente e inviolável, por isso, a chamada IMORTALIDADE é uma tentativa de violação as LEIS DIVINAS. Como MORTE significa alimento pronto para ser digerido e p/ a nutrir a VIDA.
IMORTALIDADE, ASSIM COMO, VIDA ETERNA. Seria dar permanência e não poderia ser fragmentada, para ser digerida, tanto a vida eterna, como na incongruente imortalidade em condições permanentes na matéria, fariam as “Consciências Espirituais”, acionarem a desativação da “cadeia alimentar de prezas e predadores”. E assim, A VIDA E A MORTE, iriam INSUBSISTIR (Deixar de Existir).

A Mente Espírito Psiquê Consciência, não é imortal, porque ela, não vive, não morre e não vai para a extinção.

Espirito não come Espírito.

A Vida se alimenta da Morte, a Morte sustenta a Vida na existência.

Espirito não tem Corpo, Espirito é um Campo, Espírito não encarna ou desencarna, Espirito interage via Consciência, que processa informações memorizadas que vem na água, na luz, na atmosfera, nos alimentos nos genes que são ativados e desativados pelas consciências espirituais, já os genes em endocelularização/molecular simbiótica, sob total influência desse Campo Espiritual, que fornece condições para o surgimento da VID/AMOR/TE, onde o ELO É O  “AMOR”, que permeia o Espírito e a Matéria, assim como, as energias radiantes e condensantes, face serem ambas a matéria prima do Espírito, para transformar a matéria radiante em matéria condensante, transformando, combinando e recombinando tudo na vida para sua adaptação nas alterações correntes.

Energia e Matéria é a mesma coisa, em estados diferentes.

OBS: Carne é proteína, mas proteína não é carne, a memória proteica, foi usada pela “Consciência não local”, para criar o cérebro local, na cabeça dos animais, para armazenamento de informações nas corporificações da existência, com objetivos de perpetuar por ciclos impermanentes a Vida, para se alimentar da Morte, da mesma forma que inviolavelmente a Morte, sustente a Vida e sua sobrevivência, no ambiente apropriado, tanto pela condição anaeróbica como pela condição aeróbica ou pelo consorcio anaeróbico/aeróbico.

A “Mente Psiquê Espírito”, se fragmenta em “Consciências” para interagir com a VIDA/MORTE/E/EXTINÇÃO.

Gerenciando codificadamente a existência, ativando e desativando, genes de memórias diversificadas, em subatômicas, atômicas, genéticas, filogenéticas, proteicas, culturais, enfim estabelece memória em todos os órgãos simbióticos corporificados biológicos ou não, do ambiente Planetário.

Finalizando: Encarnação, Reencarnação, Vida Eterna e Imortalidade. São mitologias humanas discriminatórias e reducionistas, dogmatizadas que vai excluindo as demais Espécies Espirituais da Diversidade dos Sistemas Vivos Planetário.

O Espírito, via Consciência Taquiônica, como um fragmento holográfico e subjetivo do TODO, interage com a célula unidade básica da vida, como um todo, por endocelularização, encelularização e peridesencelularização, esta última terminologia, se aplica após a morte, com a decomposição celular/molecular, via água que não desintegra as moléculas, apenas não entra nas partículas, ou melhor, separa-as, para um reaproveitamento descombinando e redescombinando.

Assim a Vida e a Morte, bem como, a extinção seguem seu curso impermanente, na existência perpetuada nos ciclos de transformação e adaptação, no ambiente Planetário.

Espero com isso, haver respondido como o Espirito se manifesta na vida/morte/e/extinção. Por interação via unidade básica da vida, ou seja, pelas células/e/moléculas almáticas.

Nota Final. A Unidade básica do Espiritualismo é o Espirito Taquiônico, e nunca foram as Almas que são moléculas quânticas. 
Assim as Almas, sejam unitárias (unicelulares) ou coletivas (multicelulares) são células e moléculas, ou unidades básicas da vida. 
Não existe Vida sem células e o Espirito não é constituído de células ou de moléculas e muito menos de corpo. 
O Espirito é um Campo de Influência manifestado em Consciências para interagir e processar memorias e informações.

Um afetuoso abraço e beijos de luz em todos os corações e cérebros simbióticos.

Dilmar Dutra e Marlene Chaves.