“A MORTE COMO FATO INVIOLÁVEL E DEFINITIVO PARA RENOVAÇÃO DA VIDA CONTINUADA E CÍCLICA, DEVE SER COMPREENDIDA COMO RESILIÊNCIA”.


Imprimir

Postado em 07.11.2013.

Por: Dilmar Dutra – Biomédium, Escritor Científico e Espiritual, um Facilitador e Pacificador a serviço da humanidade.

Fonte: Diversos Espíritos Descorporificados, trazendo informações atualizadas para a Nova Era.

 

.

A Espiritualidade nos diz que a MORTE é um FATO INVIOLÁVEL E DEFINITIVO, para sustentar a renovação DA VIDA CONTINUADA E CÍCLICA COM AUTOPOIESE. (palavra que significa Autocriação como codificação de “criaturas cocriadoras”). Sustentada pelas Escrituras Bíblicas e Sagradas, que relatam que “O Espírito Único de Poder Infinito”, cria suas Almas Viventes. A Ciência humana, há décadas, vem estudando a MORTE, como um FATO, que dá continuidade a Vida propiciando a combinação, recombinação e simbiose, pela autopoiese, ou seja, com o poder de autoduplicação das unidades básicas da vida, que são as células cocriadoras e o fazem por duas condições únicas, ou seja, por mitose ou por meiose, quer dizer: De forma assexuada ou sexuada, sempre sencientes (com inteligências inseridas por códigos em forma de memorias filos e filogenéticas, em grau, ainda sem cérebros e sem carne).

Aliais! Na fecundação não existe CARNE ENVOLVIDA, Carne só foi introduzida nestas almas coletivas viventes, depois de muitas e muitas recombinações, e é uma coisa muito recente em termos de vida. E só menos de ¼º dos sistemas vivos espirituais, a possuem, ou seja, possuem carne.

Em nossas leituras diversas, fiquei horrorizado ao constatar um equivoco sem precedentes e incongruente, infantil e que só pode ser: Brincadeira de alguns profissionais da área de saúde, que afirmaram pela letra que mata: “Que a Reencarnação Começa na Fecundação e que a Consciência só surge depois do cérebro formado”. Recuso-me a acreditar que pude ler algo assim, vindo de profissionais da área de saúde. Onde já se viu espermatozoide,  óvulo e o zigoto formado por esses fusionamentos, terem carne. Na fecundação, pode ter tudo, menos carne, tem genes, tem autoduplicação uma condição codificada pelo Espírito Incriado, que passa poder codificado de criação para co-criação, resultado da interação do Criador com as Criaturas, que insere “Genes Mistos e Híbridos em Simbiose”, para combinar, recombinar dentro deste contínuo de Vida, aonde a mitocôndria do óvulo e aproveitada pela nova célula criada-(zigoto) que já apresenta memorias filogenéticas (com memorias e capacidades sencientes  com tomada de decisão, escolha na busca pelo alimento), num continuo de vida hereditária, sem perdas, condição codificada no átomo de sua constituição corporificada, e que pode ser o mesmo átomo que no passado fez parte de outra qualquer corporificação ou transformação, combinação ou recombinação e simbiose. O que de FATO ocorre na FECUNDAÇÃO que faz surgir à carne numa nova vida corporificada, são muitas e muitas recombinações codificadas, transformadas e adaptadas.

Afirmar que o termo incongruente REENCARNAÇÃO é um dogma declarado por Kardec no livro dos Espíritos questão 171. Vamos repetir a pergunta. É só conferir: Capítulo IV, Pluralidade das Existências; Justiça da Reencarnação. (Sobre o que está baseado o Dogma da Reencarnação?), E A PALAVRA DOGMA está por toda codificação. Não levar isto em consideração é viajar na maionese, quanto ao afirmar que a reencarnação começa na fecundação, é uma total falta de conhecimento espiritual, uma vez que: A condição biológica esta correta nas fusões de Campos Espirituais com os Corpos estruturais, o que realmente eu quero dizer; É que por esta razão não pode existir reencarnações e penso que uma afirmação como esta, só pode haver outros interesses que não sabemos dizer o que seja. Todavia! Vamos esclarecer que na fecundação, em momento algum envolve CARNE. Apesar do processo de FECUNDAÇÃO ser a condição primária do processo espiritual e material.

Pelo AMOR de “DEUS” isso é uma tremenda mitomania humana, que só pode ser história para boi dormir! Estamos em pleno século XXI? Vindo de um leigo, tudo bem, vamos respeitar as diferenças. Mas vindo de um Profissional da área de Saúde é inadmissível. A coisa piora muito quando Espíritas, fazem colocações que o desenvolvimento dos Espíritos só ocorre aos 07 anos de idade. Meu DEUS! Se a célula procariótica já é um SER ESPIRITUAL senciente com códigos diversos e construíram todos os demais Sistemas Vivos, como a Matriz Divina. Prefiro não dizer o que penso dessa desastrosa e infantil afirmação.

Já não dá mais para silenciar diante de tanta abobrinha. A Humanidade merece respeito.Então vamos respeitar com informações sérias e racionais.

Peço desculpas! Mas tudo na VIDA tem limites que precisam ser respeitados, mesmo diante das diferenças, sabemos que a letra mata e o Espírito vivifica. E estes comentários não podem ser interpretados como Criticas, apenas como questionamentos diante de falta total de sustentabilidade, este FATO mostra que a terminologia ENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO não pode ser sustentada diante da grande Diversidade de Espécies Espirituais, sem CARNE e SEM CÉREBROS.

Beijos de luz, nos corações e cérebros simbióticos locais, iluminadas pelas Consciências que são fragmentos da MENTE PSIQUÊ ESPÍRITO não local e eterna. 

Namastê. Dilmar Dutra e Marlene Chaves