“A PSICOLOGIA SEGUNDO FREUD”


Imprimir

Postado Carmo de Minas, MG em 27.05.2013.

Por: Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Ecumênica, Universalista, Holográfica e Holística – Escritor Cientifico e Espiritual, um facilitador a serviço da humanidade.


Matéria atendendo um pedido de uma amiga, que quer permanecer no anonimato – Solicitando minha opinião em relação aos três (03) conceitos fundamentais da Teoria Freudiana.

 

Querida (M.A), diante de sua carta, estou elaborando essa matéria e publicando-a em meu site, conforme seu desejo, para  falar  da “PERSONALIDADE” humana e de seus “EGOS” e “SUPEREGOS” como os três fundamentos da Teoria Freudiana.

Confesso que recebi a ajuda de um dos meus principais mentores, ou seja, da consciência espiritual de “Jesus Cristo”, QUE JÁ COLOCA DE OUTRA FORMA, OU SEJA, “PSICOFISIOLOGIA”, ou as Bases Fisiológicas do Comportamento dos Sistemas Vivos, que iremos abordar mais ao final da Matéria, por enquanto falaremos dos três (03) Fundamentos reducionistas da Teoria Freudiana e a complementaremos a seguir:

E ao iniciarmos esse texto, vamos procurar transmitir com precisão de ideias, ou seja, das palavras latinas usadas por “Freud” em Alemão, sob tradução. Buscando entre as línguas alemã e português falado no Brasil, suas possíveis equivalências.

Estudando e verificando, além de revelações espirituais em relação ao seu pedido, para falar de informações sobre “Personalidade”, “Ego” e “Superego”, no entendimento Freudiano e de demais humanos, assim como, no entendimento mais abrangente da Ciência Atualizadíssima que aborda tudo, sobre um Sistema de Totalidades Integradas.

Precisamos estabelecer um paradigma de “pronomes pessoais”.

Mas antes quero citar um proverbio italiano: “Traduzir é trair” – Citação de (Baars, em 1986. Seus registros publicados: Pag. 73), que exprime essa ideia  de modo sucinto.

Todos no meu entender que se dedicam as traduções podem estar manuseando fragmentos de dados imprecisos, ou destorcidos
Tanto isso é verdade, que na década de 80. A Sociedade Psicanalítica Britânica recomendou que a tradução “standard” das obras de Freud, fosse radicalmente revista, por considerar que ela, apresentava uma visão distorcida de suas ideias. (Holder: 1988).

E eu pessoalmente, penso que a visão Freudiana é reducionista, por abordar só humanos (mas por outro lado, considero que em parte, Freud tinha um pouco de razão. ‘Ego e Superego’ – Realmente são relacionados mais com humanos  e poucas espécies de mamíferos.

Já a personalidade e vaidade é uma condição mais abrangente, que alcança todos os Sistemas Vivos, com destaque para algumas aves que se emplumam, cantam para atrair suas fêmeas.

Vamos traçar um paradigma com humanos em relação as traduções do alemão para o português. E Estabelecer um entendimento com a maior precisão possível de idéias.

Exemplos: O que significa “Ich” em Alemão “Eu” foi traduzido como “Ego” “Id” para “Es” (isso) e Superego em Alemão   “ÜBER –ICH” (sobre eu) – vejam a confusão e traição.

Na verdade penso que Freud queria indicar algo “intimo e pessoal” e distingui-lo com uma maior transparência de “Es” (isso), que é completamente do “Eu” que significa uma terminologia diferente ou estranha a “ELE”.
Deu para entender?

Pelos seus equivalentes latinos o “Ego” e o “Id” em vez de equivalentes, por exemplo, em inglês, são tecnicamente “frios”, ou que não despertam quaisquer associações pessoais.

Querem saber mais? Busquem os registros de Bettelheim, publicados 1982, pág. 53. - Você pode encontrar todos esses registros no Livro História da Psicologia Moderna da “Editora Cultrix”, de autoria P.SCHULTZ e SYDNEY ELLEN SCHULTZ (Devendo evidentemente, entender que minhas colocações não fazem parte deste Livro, eu, ou estou citando, para comprovação e solicitação da amiga, (M.A.) que pediu-me, referências em Português).

A distinção entre “Eu” e “Mim” por um lado, é “isso”. Por outro lado não tem sob tradução, a força do entendimento original.

Existe na “Mídia” com citações que Freud não teria dito sob afirmação Que: (Não devia ter escrito em alemão. “Das” Ich uno das “Es”. Porque “Es” Não pode ser traduzido para o inglês). – (“Paskauskas, 1988 pag. 119”).

Essas diferenças de sentidos são consideradas por muitos psicólogos, pequenas e sutis, mas nem por isso deixam de ser alterações graves e que confundem. É essa coisa de se referir só a humanos e separatista e exclusivista.

Agora! vou falar, de forma mais abrangente e Universalista, pois a abordagem será de “PSICOFISIOLOGIA” COM BASES INTEGRAIS DE COMPORTAMENTO DE TODOS OS SISTEMAS VIVOS” SEM O REDUCIONISMO DA TEORIAS ISOLADAS APENAS VOU COMPLEMENTA-LAS E ADAPTA-LAS A REALIDADE DA EXISTÊNCIA “CÉLULAR – MOLÉCULAR”

Eu acredito que Unidade e Diversidade não é Incompatível, penso que o EGO e o SUPEREGO são elucubrações humanas, que foram afetadas pela ações, dos participantes históricos, registrados nas consciências e subconsciências de mamíferos que interagem, com corpos locais, contidos no Campo da Mente Psique Consciência Espirito não local.

A relação “Mente e Corpo”. Existe pela interação celular – molecular tudo em “Termos Psíquicos” não pode ser estudado só em humanos, como Unidades Morfogenéticas, há medida que sabemos que todos os Sistemas Vivos, são constituídos de Células e Moléculas e que a CARNE, só em 1/4º dos Sistemas vivos e não é uma proteína, mas têm proteínas e por isso, o termo Encarnação e Reencarnação é reducionista em questões Espirituais e Psíquicas, que são condições de: Interações de “Consciências”, partículas fragmentadas do “TODO – EU MENTE PSIQUE ESPÍRITO”. “PAI MAIOR” ou “DEUS”. 
Os Humanos Rotulam o “Sistema Criador de Singularidade” com os nomes que quiserem, é o livre arbítrio em ação. E nós respeitaremos isso, face respeitar todas as diferenças de entendimento.

Toda ação psíquica começa na matriz Divina da Célula Procariótica, com um diferencial fundamental: As células Procarióticas ou Eucarióticas, não possuem “EGO” e muito menos “SUPEREGO”. São os seres mais solidários do Planeta.

Querida! A relação dos humanos com os micróbios são totais, nossa constituição é de células e moléculas e somos seres mistos. E tratar os humanos, como seres especiais ou a causa de tudo é um grande equivoco.

 Hoje as idéias e conceitos básicos. É de preservar o Planeta e todas as espécies pelo intelecto, espiritual e social, sem exclusões com complementações e respeito.

O estudo será sempre reducionista se for feito, sob olhar da natureza humana. Mas os estudos recentes nos mostram que o novo olhar, é o estudo da natureza da vida.

Espero haver respondido todas as suas duvidas em relação às personalidades, ego, e superego finalizando afirmando que a célula, seja, procariótica ou eucariótica, não possui: “ego e ou superego”.

Beijos de luz, nos corações e cérebros simbióticos locais, iluminados pela “Mente Psiquê Espírito”, fragmentada em Consciências Eternas, da essência que interagem via respiração com todos os Sistemas Vivos da Existência.

Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos.