,

“Autopoiese, Apoptose, Consciência Espiritual e Livrearbítrio, as bases da Criação Divina, ainda, veladas aos seres humanos.”


Imprimir



Por Dilmar Dutra – Escritor Científico e Espiritualista, um facilitador a serviço gratuito da Humanidade.

Fonte da Informação: Comunicação Telepática, ou Subjetiva e Holográfica mantida entre duas Consciências Espirituais, ou Espíritos. O primeiro (corporificado) com peso massa e corpo, em autopoiese atendendo pelo nome civil humano de Dilmar Dutra, o segundo em Consciência ou Espírito, (descorporificado), ou seja, sem corpo, massa e peso, numa transcendência Mediúnica, com aquele que atendeu pelo nome civil humano de JESUS DE NAZARE, O CRISTO, completamente fora da chamada neocriação, que significa geração espontânea, como arquéticos imaginários da ficção humana.

A Física Quântica tenta explicar, pela mecânica quântica, apoiada na neocriação materialista, a incongruente geração espontânea, que esbarra na Autopoiese, ou um tempo impermanente e transitório de viver, buscando a autoalimentação, com a inteiração da Consciência Espiritual e ou Espírito, para manter-se nutrido e em estabilidade, condição codificada e finalizada como apoptose, ou seja, ter uma programação celular para morrer e, se transformar em alimento para manter outras vidas em estabilidade, condição de como a vida é formada e constituída.

Outrossim, fica entendido que não existe vida, sem células e moléculas, que sob simbiose com fungos e acelulares, como os vírus e bacteriófagos, ou fagos, através uma manifestação Divina, codificada de forma indexada, ou de forma inviolável e inegociável, por que tudo já foi criado pelo EU SOU, AQUELE QUE É, ANTES DE TUDO EXISTIR O CRIADOR ÚNICO. Muitos os chamam de DEUS, ou mais 70 nomes de acordo com seu entendimento e nascido aonde o berço, lhes dá as primeiras noções do Criador, pela hereditariedade familiar, E os Seres humanos apenas descobrem e revelam.

Quando informamos aos iguais humanos, que não existe a vida a chamada de neocriação, ou geração espontânea, seus criadores humanos e seus defensores que nos perdoem discordar, pois todas as culturas de origem possui um código de organização social geomorficamente que é fruto da ação microbiana consciente com limites de estabilidade temporária e transitórios indexados a hereditariedade ou de codificação inteligente e organizada de forma perpetuada para cada espécie, objetivando conscientemente, produzindo em sua constituição, seja qual for, em autopoiese, disciplinada e finalizada na apoptose, sempre com torção biológica e plasticidade morfogenéticas, sob inteiração da Consciência ou Espirito, sempre obedecendo o código de criação Divina, inclusive quando o alimento é esgotado o código o extingue. E novas formas surgem oriundas da mesma origem procariótica, em substituição, para complementar a Cadeia Retroalimentar de Presas e Predadores Almáticos.

OBSERVAÇÃO:

Todos os biótipos com suas diferenças, são de origem mutatória diante das transformações, combinações, recombinações, miscigenações e adaptações sempre preservando a biopatografia aonde o gene marcante com certa longevidade transfere o processo infeccioso ou alérgico, mas transfere também, a carga imunológica pela simbiogenes com fungos e fagos.

Quando falamos de tomada de decisão, escolha ou de livrearbítrio defendemos a hereditariedade celular molecular e de acelulares como vírus e fagos que são importantíssimos para o processo de imunologia humana. Eu poderia me estender muito nesta matéria, consubstanciando-a com outros elementos que trazem informação e memórias, no entanto me reservo o direito de prestar informações de modo homeopático e assim, possibilitar uma melhor compreensão ao digerir vagarosamente, com avaliação pessoal de cada um.

Beijos de luz, nos cérebros e corações, simbólicos e simbióticos iluminados pelo grande Mente do TODO EU SOU, AQUELE QUE É O CRIADOR ÚNICO, OU “DEUS”. Dilmar Dutra e Marlene Chaves.