“Moralidade X Imoralidade”


Imprimir

Por Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Ecumenismo Universalista e Holográfico – Escritor Espiritual e Cientifico - Um facilitador a serviço da humanidade.

Você sabe a diferença de moralidade para imoralidade?
Vamos responder esclarecendo:

Moralidade: Significa legalidade, finalidade e respeito às leis, com inclusões.

Imoralidade: Significa ilegalidade, finalidade e desrespeito as leis, com exclusões.

A diferença está na “finalidade”, de respeitar ou de desrespeitar.

Sejam nas instituições Governamentais ou não, sejam Religiosas ou não, espirituais, exotéricas, místicas, filantrópicas, ou não. Etc...

As leis em vigor deveriam e devem ser respeitadas. Mas vejo que no Brasil, isso não acontece. Parece-me, que existe um propósito cuja a finalidade:

É de total desrespeito, aos Poderes Constituídos.
O Legislativo é desrespeitado, porque não cumprem as leis.
O Executivo é desrespeitado, porque desafiam a sansão das leis.
O Judiciário é desrespeitado, porque não obedecem ao que foi dado em sentença, transitado e julgado, como órgão supremo de fazer cumprir as Leis.
 
Por que estas coisas estão acontecendo?

E quem desrespeita Isso?

Só vejo uma resposta:

Resposta: Quem estar a arguir as institucionalidades de leis a mais de 20 anos em vigor.

Qual a finalidade, de se apropriar indebitamente dos salários de aposentados, inativos, civis, militares, e seus dependentes e pensionistas para dar a eles outros destinos?

Observando tudo isso, encontro à resposta:

Assessores a serviço da ilegalidade, e extracargos, sem fiança compatível que o cargo requer, mais com a finalidade e intuito, de excluir os direitos adquiridos, de Funcionários Efetivos do Quadro Permanente, (Hoje Inativos Civis e Militares e Pensionistas).

Direitos, que foram conquistados e dados por LEI, ao longo de mais, de 35 anos serviços prestados e premiados por reconhecimentos, numa ação desumana, pretensiosa, com total desrespeito a Legislação em vigor.

Praticam este ato imoral, arguindo a inconstitucionalidade das Leis a mais de 20 anos em vigor. Só querem aparecer e mostrar serviços com soluções de inconstitucionalidades, só de Direitos Concedidos aos Servidores. 

Seja: Ativos ou Inativos, numa proposição indecente e desrespeitosa ao Legislativo, ao Executivo responsável pelo sansão. E ao Judiciário: Que compete garantir que as Leis produzam seus efeitos, sem retroagir para prejudicar, ou seja, ignorando que as Leis só podem retroagir  para beneficiar.

Leis a mais de vinte anos em vigor e estão consolidadas e muitas jurisprudências foram firmadas em cima delas.

Forasteiros na contra mão da gestão que significa integração, não podem arguir inconstitucionalidades, com base nos seus achometros ilegais, face, a Lei se encontrar em vigor, e com isso, estão ferindo frontalmente o Estado Democrático de Direitos Adquiridos e Constitucionais, devidamente regulamentados por Leis Estaduais.

Para esses o RIGOR DAS LEIS DEVEM IMEDIATAMENTE ALCANÇA-LOS.

E os Ordenadores das Despesas, embarcam nesta canoa furada, ao imaginarem que seus assessores podem desafiar os poderes constituídos.

Penso que a lei é para todos, mais o rigor das Leis e para ser aplicado em quem às descumprem, a partir de atos e pareceres, como se esses pareceres, tivessem a força da lei.

Tenho a certeza de que esses senhores estão desafiando os Poderes Constituídos e logo, logo... Com as forças aliadas, entre os Poderes Constituídos do Brasil, somados as Forças Sociais da Internet, irão exigir o cumprimento do Estado de Direito e da Legalidade, onde o rigor das Leis alcançará, quem as descumprem com tamanho desrespeito.

É preciso resgatar os valores da Constituição e Assumirem os compromissos com o Estado Democrático de Direito.

Para que não venha acontecer como alguns Países da América Latina que fazem exclusões e que já estão pagando caro por isso. 

Governos só podem alavancar crescimentos se sua Gente crescer junto. Já é hora de exonerar  todos os escalões Governamentais, pessoas na contra mão do Estado de Direito, que prejudicam sua classe de Aposentados, Inativos e Pensionistas que ajudaram o Brasil a chegar aonde chegou.

O Brasil hoje, como um dos Países Emergentes. É o que menos cresceu.

Querem saber por quê?

A resposta e exemplo: Vem da China. Quem é observador e tem olhos de ver que veja.
O Governo Chinês, Governa para os Chineses, a classe Média Chinesa não sofre confisco e nem é descriminada por pessoas no Governo querendo ser maior que a Legislação do País.

E olha que a China! Tem a maior população de humanos do Planeta. 

Adotou-se lá, um Governo de Inclusões, aonde a gestão é integrativa, permitindo a expansão de ganhos, com atualizações que corrigem a corrosão, numa ação produtora de olhos nos Mercados de Países Evoluídos e Emergentes.

As prioridades de Obras e Investimentos passam primariamente, pelo Mercado Interno, dando assistência às estradas vicinais, para escoamento de produções que estejam à disposição de Mercados Globalizados, sem confisco, face, a classe melhor remunerada, fazer girar o mercado Interno e com isso, dar sustentabilidade a produção de forma interna para sustentar o mercado externo.

Os Chineses jamais deram as Costas para os Estados Unidos, como a maioria dos Países da América do Sul fazem. Não querem saber de guerras, de confrontos, de hostilidades que possam romper relações ou colocar os Chineses em situações difíceis. Uma Nação para prosperar precisa que sua gente prospere junto.

Políticos, Assessores, Governantes e escalões diversos precisam de conscientizações de que só um sistema integrado, aonde a sua gente esteja incluída, pode prosperar. 

Sistemas Reducionistas engessados em achometros particularizados, cuja finalidade seja de exclusões, apropriações indébitas, achatamento de ganhos e descumpridores das Legislações, elucubrando com ideias de abuso de poder, precisam urgentemente ser enquadrados dentro do vigor das Leis para provar do seu RIGOR.    

Querer mudar as Leis. É um Direito de quaisquer Administrações, principalmente se for para adequar as Finanças. 

Mas é preciso saber que os Direitos Adquiridos, terão de ser respeitados.

A Nova Lei regulamentará os novos Servidores que ingressarem nos quadros, a partir da vigência da Lei, que entra em vigor na data de sua publicação revogando-se, todas as disposições em contrário. (Esse finalzinho, já dá, para enquadrar todos esses, cujo perfil, fere a Legalidade).

Aos Assessores que pensam em soluções excludentes, saibam que pela Constituição as Leis só podem produzir seus efeitos a partir de sua vigência e ela não pode retroagir para prejudicar.

Em nossa Bandeira. Está escrito: “Ordem e Progresso”.

E o Povo Brasileiro, Ativos Inativos Civis e Militares, bem como, seus Pensionistas, quando procuram o dialogo, não significa fraqueza. Significa respeitar o Estado Democrático de Direito.

É hora de fazermos uma reflexão:
Hoje vocês querem confiscar nossos direitos e nos excluir do Sistema. 

Não iremos permitir, penso que as negociações são o único e melhor caminho.

No amanhã, no futuro vocês estarão fazendo parte da nossa categoria de inativos civis, e militares. 

E suas esposas e mães, estarão como suas Pensionistas.

Desrespeitar o Estado Democrático de Direito e pisar num terreno muito perigoso. E as Leis podem alcança-los a qualquer tempo.

Um afetuoso abraço e beijos de luz, nos corações iluminados pela “Mente Psique Consciência Espírito” Namastê Dilmar Dutra