“O METABOLISMO, OU REAÇÕES QUÍMICAS”


Imprimir

São Lourenço - MG. Parque das Águas. Em 28.05.2013

Autoria: Consciência Espiritual, que um dia no passado, interagiu com “Imhotep”, que os Gregos chamaram de “Hermes Trismegisto” (“O três vezes, grande”). E hoje interage com a Consciência de Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Ecumênica, Holográfica, Holística e Universalista – Escritor: “Cientifico e Espiritual”. Um facilitador a serviço da humanidade.

 


Dar a conhecer: O requisito essencial para a vida e sua manutenção da sobrevivência, com o metabolismo “reações químicas” como: “anabolismo e catabolismo”, produção e reprodução celular de enzimas, perspiração insensível, relação sexual, jejuar e excretar, alimentação e integração etc. Desde os procariontes, que trazem códigos de degradação de nutrientes que não deixam interromper o fluxo nas células.

Exemplo primário:

Tudo começa com o pré-requisito básico, para o metabolismo produzindo reagentes como Códigos Divino, inserido na célula procariótica de forma interna, levando-a nutrição que é manifestada de forma natural, à aquisição pelo organismo celular em simbiose – com as moléculas, produtoras de enzimas, que quebram todas as matérias primas essenciais e fontes de energias, contidas como corpos no “Campo Espiritual”, envolvendo todos os tipos de moléculas, que vem diluída na molécula mãe, como solvente da vida, que vai interagindo, com todas as demais moléculas selecionando-as e isolando-as em monoméricas, glicidos, acido nucleico, monossacarídeos, nucleótidos, proteínas ou polipeptidos  polissacarídeos, polinucleótidos, bem como, proteínas fibrilares e proteínas globulares, etc... etc... Numa criação de novos elementos de acordo com suas necessidades, aumentando muito a Tabela Periódica, num modo progressista e continuo pela combinação e recombinação evolutiva e informativa.

Este processo é primevo de suprimento e transporte extracelular de nutrientes, que podemos denominar de alimentação, absorção de luz, saciação de moléculas, pela molécula mãe, chamada de água, e por tudo que  existe no Planeta, onde estamos todos contidos, com interações corporificadas, com células e moléculas almáticas, criadas localmente pelo “TODO” – “Eu Mente, Psique, Espirito”, não local, que interage e posta massa, peso e corpo, estabelecendo na existência, a criação pelas células e moléculas co-criadoras, de forma impermanente, com torção e plasticidade biomorfogenética, a partir do “Morfo” periferalista (por fora, ou em volta de), para o Morfogenético endoferalista (inserido dentro, todos os órgãos), estabelecendo o comportamento alimentar como sobrevivência e pela excreção o orgânico como, alimento processado, adubo e fertilizante e o inorgânico não processado e expelido como devolução ao Campo.

Tudo isto. É mantido pelo código Divino de metabolismo, que estabelece a saciação a partir da molécula mãe “Água” sob engolfamento celular, que evoluiu nos animais, para saciar bebendo, que passa por órgãos simbióticos nos animais, onde os humanos estão inclusos, chamados de estômagos, rins, etc.. Que por estimulação sensorial, provoca contrações de filtragem, como usinas que isolam os elementos necessários às nutrições que levam no excesso a obesidade, e na carência o raquitismo e a morte, comendo e excretando.

A regulação do apetite vem por manifestações sensoriais, ou seja, mediúnicas, da mesma forma que a interação via respiração, alimenta de informações as Consciências Espirituais, misturadas como partícula no oxigênio em supremacia junto aos outros gases atmosféricos, captados por cognição, via colisões de íons, radiações e luz trazendo informações para a noção da dieta, a partir da memoria filogenética, microtúbulos e cérebros, que usam sensores eletromagnéticos, para levar seiva e sangue pelo transporte da informação por vasos e artérias nos animais.

Tudo isso passa pelas condições integrativas das aminas biogênicas, como conexão anatômica, de vias dopaminérgicas, serotoninérgicas, e noradrenérgicas, a partir das memorias filogenéticas, com códigos primários e Divinos, para transformação e adaptação, ocorrendo, também,  nos cérebros, como máquinas, sob interação “locus coeruleus”, como mais uma forma de guardar as informações receptadas e transmitidas, pelos receptores beta-adrenérgicos, que transportam anfetaminas e tenfluramina halogenada, onde todos os órgãos dependendo da espécie animal, desenvolveram tudo em nossos organismo pelas produções celulares moleculares pelas bactérias (células), fungos, vírus e fagos solidários e integrativos em simbiose e endossimbiose.

O Poder de co-criação, transformação, adaptação, combinação e recombinação, desses arquitetos Divinos Microbianos é fantástico, mostrando-nos suas co-criações pelo metabolismo, de forma perpetuada sob ocupação e reprodução local, extraindo tudo do Campo do Meio Ambiente e estabelecendo comportamentos, psiquismos, ao interagir com os fragmentos de Consciências Espirituais, com reproduções, replicações e manifestações emocionais, sexuais, neurais, densidades multidimensionais, sociais, anabólicas, aprendizagem, memórias, mecanismos, como a dor, interagir com o “ELO AMOR”, emoções, atenção, associações, interações, linguagens e apoptoses, são de totais responsabilidades metabólicas, oriundas de todas as células eucariótica: “cloroplastos e mitocôndrias, em endossimbiose nas células bacterianas, em consórcio com micróbios, vírus, fungos e fagos. Mostra-nos claramente que o Sistema “DEUS” não joga dados.

Termino dizendo: Que a vida que pensamos egoisticamente, ser nossa como humanos. É totalmente microbiana, como é nossa constituição metabólica, uma construção codificada Divinamente, por procariotos e suas proles, fungos, vírus e fagos.

Um forte abraço e beijos de luz nos corações e cérebros simbióticos locais, iluminados pela Mente Psique Espirito não local, que posta, massa, peso e corpos mistos, em Seres Vivos da existência que nascem, morrem e vão para extinção, na desativação de seus códigos inseridos nas espécies da Diversidade Planetária.

                            Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos