“O Respeito às diferenças, sejam elas quais forem.”


Imprimir

Postado em 16.10.2013.

Por Dilmar Dutra –Biomédium – Escritor Científico e Espiritual. Um facilitador a serviço da vida como um todo.

 

.

Acostumado ao dialogo, aonde as opiniões, desde o berço quase sempre com variantes diferentes e opostas, aprendemos que as diferenças, são estabelecidas em grau de pessoa, para pessoa, e estão ligadas aos números de informações que suas memórias registram e guardam, aceitam e adotam pelas escolhas, de forma arbitral.

Tenho familiares e amigos que se enquadram e nos enquadram, também, em diversos graus, como tolerantes, pacientes e equilibrados, mais também, tenho familiares e amigos, que por sua vez, se enquadram e nos enquadram, nos diversos graus, como intolerante, impaciente e desequilibrado. E isso é muito comum em nossos relacionamentos, acredito ser uma exclusividade da espécie animal humana cujo ego se diferencia dos demais seres não humanos os excluindo e discriminando seres microbianos que compõem sua própria constituição.

Como eu sou um observador e questionador nato, coloco minhas opiniões de forma transparente no que escrevo e explico, sempre na qualidade de conflito, e tento argumentar pela logica, racionalidade e congruência. Ao perceber, como sensitivo que sou. Vejo em condições proativas, que o conflito pode ser conduzido ao confronto, na ocasião que surja tal oportunidade.

Diante de tal possibilidade de confronto, tomo sempre a decisão de guardar silencio, e não me pronunciar, em respeito, às diferentes escolhas e tomadas de decisões. Isso por que, eu penso que estas questões, são intimas pessoais e intransferíveis de cada um.

Todavia! Em outro momento, coloco de forma transparente o resultado de meus estudos independentes de (Ciências Integrais e Espiritólogia).

Afinal eu sou um Biomédium e Escritor Científico e Espiritual. E não poderia ser de outra forma, eu irei levar sempre a informação, por considerar que ninguém é dono das informações, e assim, vou interpretando, comentando e facilitando, ao usar textos de minha autoria, ou, textos alheios, como parte, que possa consubstanciar parcialmente, ou totalmente, isso, sempre será feito por mim, devido eu não acreditar, que possa existir obra de um ser humano só. (Ou que ele sozinho, possa fazer tudo).

Queiram alguns, ou não.

É um direito que tenho de dividir a gota de conhecimento que tenho. Que não é nada. Perto do oceano de conhecimento que não tenho. Para mim, pouco importa se é uma gota, ou não. É o que eu tenho para dar, e eu sempre irei dividir essa gota. Sem olhar a quem.

Os que quiserem poderão usa-la guarda-la, os que não quiserem, podem ignora-la e descarta-la.

Em solidariedade, continuarei fazendo a minha parte.

É preciso respeitar e aceitar as pessoas como elas são. Da mesma forma em relação as suas crenças e opiniões, mesmo que as nossa sejam diferentes. Se tivermos direitos, todos também, os têm. Não é mesmo?

Às vezes, eu me atenho a muitos detalhes, do que se escreve pela mídia, por ser um observador nato, e um questionador da forma como se escreve, dando sentenças dogmatizadas.

O ser humano pensa em si, como se fosse o único ser Espiritual, devido haver herdado do próprio berço o EGO, que provoca o reducionismo discriminador, que exclui os outros sistemas vivos, que fazem parte da sua própria constituição, e não dão espaços para incluir nada além de si mesmo, confundem Campo com sua grandeza, com a pequenez de seus Corpos.

O Campo é Espiritual e Subjetivo, é de Influência, onde todos os Corpos estão contidos e influenciados. Eu disse "TODOS", sejam Mórficos, ou Morfogenéticos, Inorgânicos ou orgânicos.

E diante disso, e por esta conclusão, entre a VID/amor/TE. Como questionador. Vejo esse AMOR, aparecendo no meio das duas palavras, escritas juntas e sem separações, como elo, entre a vida e a morte.

E esse AMOR, está acima de nós, pela sua neutralidade e imparcialidade como fato. E esse fato, nos propicia dizer: "Que todos somos um". A letra humana MATA, mais o Espírito Vivifica.

Eu me pergunto sempre:

A carne é proteína. Mas proteína não é carne. Correto?

Se Todos os sistemas VIVOS são “SERES MULTICELULARES”, eu pergunto: Onde está a carne na célula? Porque encarnação e não encelularização? Ou quem sabe, corporificação?

Vou perguntar de novo: Você pode responder se existe Corpo Espiritual?

Você acredita mesmo o Campo Espiritual do TODO, possa ter um involucro ou revestimento a sua volta?

Desde quando a “Consciência” tem corpo?  Desde quando a “Mente Psiquê Espírito” tem corpo?

A Vida é corporificada por que é matéria.

O Espírito não tem corpo, porque não é matéria.

Se a “Consciência” é uma partícula da fragmentação holográfica e subjetiva, da “Mente Psiquê Espírito”, uma singularidade, misturadas aos gases atmosféricos do “Campo Morfogenético de Influência”, que melhora com a supremacia do oxigênio e que sem o oxigênio, ou melhor, sem as interações, (respirações), com esses gases atmosféricos, os corpos com suas dependências da grandeza do Campo, onde estão contidos os corpos vitais, ou com vida, são impotentes e pequenos, diante da grandeza de quem os abriga para vida, e que nada podem fazer para sobreviverem, sem esses gases. Existe alguma dúvida sobre isso?

E perder a “Consciência” na vida, significa perder o Espírito na vida pela MORTE como FATO E ALIMENTO, que sustentará outras VIDAS, pela impermanência na existência.

Como pode um corpo, com sua pequenez, vestir um Campo, com sua grandeza?

Como pode existir uma encarnação ou reencarnação Espiritual, si a carne é proteína, mais proteína não é carne, será que existe corpo pronto de carne para encarnar; nem todos os Seres Vivos Espirituais têm carne? 

Mas todos são constituídos de células e de moléculas. Esta informação está, ou não, correta?

Somos seres multicelulares. Então onde está a carne na célula?

Alias só menos de 3/4 dos sistemas Espirituais, possuem carne, sabemos que a grande maioria não possui carne. Será que os Cientistas e Biologistas estão engados, ou, equivocados, quando afirmam que não existe vida e morte, sem células e moléculas?

Como pode existir Vida sem matéria?

Por acaso, o Espírito é matéria para ter CORPO ou VIDA ETERNA?

A Vida é celular e molecular. Certo?

O Espírito é constituído de Células e moléculas?

Pelo que sei o Espírito é singular, holográfico, subjetivo, sem peso, massa e corpo. Ou eu estou errado?

Será que: a Consciência de JESUS CRISTO, estava equivocada, ao afirmar que as palavras como “encarnação”, “reencarnação” e “incorporação espiritual”, são incongruentes, reducionistas e discriminatórias, ao citar que somente os humanos, são seres possuidores de Consciência? (registros Gónsticos).

Aliás! JESUS CRISTO, sempre afirmou através de Maria Madalena de Bethânia, irmã de Marta e de Lazaro (O mesmo que Kardec cita no evangelho segundo o Espiritismo) como veremos mais a baixo. 

Maria Madalena de Bethânia, considerada por Thomé. A apóstola de todos os Apóstolos que teve também, um evangelho e que foi considerado Gnóstico, e que por ele  esclarece que as Consciências são partículas da “Mente Psiquê Espirito”, que se fragmentou para ocupar toda expansão do ETER em estado infinito, para interagir com todas as corporificações da vida e da não vida, contidas no TODO ETERNO. Eternidade é uma palavra derivada do ETER. Você sabia disso?

Será que a VIDA não é celular e Molecular?

Se a vida é celular.

Será que as palavras corretas não seriam encelularização, em substituição a encarnação, reencelularização em substituição a reencarnação, e inteiração em substituição a incorporação, ou apenas: corporificação e descorporificação?

Se os corpos vivos e mortos e não vivos, estão todos, contidos neste Campo Morfogenético Espiritual, como pode o espirito estar dentro dos corpos? 

Será que a verdade é justamente ao contrário? Penso que existe aí, uma inversão de valores. Não é?

Como esse Campo Morfogenético Espiritual pode estar dentro dos corpos sem explodi-los e desintegra-los? 

A Física Quântica nos mostra isso, quando uma estrela implode e se transforma num Buraco Negro. Você já viu falar em Buraco Negro? 

Será que têm alguma coisa errada aí? Em relação ao Espirito Campo, se incorporar, ou seja, O Campo com sua grandeza entrar num Corpo com sua pequenez.  Tem ou não algo errado ai?

Referendando, ou seja, confirmando que o Espírito deve ser cultivado como um Campo (Pela sua Grandeza). E não como um corpo, pela sua pequenez. Comentário de Dilmar Dutra consubstanciado no Evangelho abaixo:

No Evangelho Segundo o Espiritismo. Instruções dos espíritos – A LEI DO AMOR.

Vejamos:

Questão ou Item 8. O amor resume... O espírito deve ser cultivado como um campo, toda a riqueza futura depende do trabalho presente, que acima dos bens terrestres, levar-vos-á gloriosa elevação. E será então que, compreendendo a “Lei do Amor” que une todos os Seres, procurareis nela os suaves prazeres da alma, que são os prelúdios das alegrias celestes (Lázaro, Paris, 1862) texto original referendado por Kardec.

OBSERVAÇÃO: Análises Preliminares do Biomédium Dilmar Dutra, Escritor Científico e Espiritual:

Todas as obras da codificação tiveram suas respostas extraídas do consenso mediúnico de leigos. - Todavia as perguntas foram elaboradas por Kardec e quando as respostas tinham coerências, ele citava os autores, o lugar e as datas.

Por que, será que Kardec, ratificou (confirmou) com registro, a revelação de Lazaro, irmão de Marta e de Maria Madalena de Bethânia? (citação no texto acima, prometida para ver).

Eu me pergunto sempre:

Por que será que Alan Kardec pela questão, ou item: 171 do Livro dos Espíritos, perguntou afirmando:

Sobre o que está baseado o dogma da reencarnação?

Por que será! Que no Livro a “Gênese”, da codificação feita por Kardec. Questão, ou item 17 do Capitulo XVIII, com o Título de: “São chegados os tempos”. Kardec escreveu o seguinte?

“A fraternidade será a pedra angular da nova ordem social; mas, não há fraternidade real, sólida, efetiva, senão assente em base inabalável e essa base é a fé, não ha fé em tais ou tais dogmas particulares, que mudam com os tempos e os povos e que mutuamente se apedrejam, porquanto, anatematizando-se uns aos outros, alimentam o antagonismo, mas a fé nos princípios fundamentais que toda a gente pode aceitar e aceitará: Deus, a alma, o futuro, o progresso individual indefinido, a perpetuidade das relações entre os seres. Quando todos os homens estiverem convencidos de que Deus é o mesmo para todos; de que esse Deus, soberanamente justo e bom, nada de injusto pode querer, que não dele, porem dos homens vem o mal, todos se considerarão filhos do mesmo Pai e se estenderão as mãos uns aos outros.

Essa a fé que o Espiritismo faculta e que doravante será o eixo em torno do qual girará o gênero humano, quaisquer que sejam os cultos e as crenças particulares?

Por que será que no mesmo Capitulo XVIII do mesmo livro da Gênese, na questão ou item 28, Kardec fez a seguinte colocação?

A época atual é de transição; confundem-se os elementos das duas gerações. Colocados no ponto intermediário, assistimos à partida de uma e a chegada da outra, no mundo, pelos caracteres que lhes são peculiares. Têm ideias e pontos de vista opostos às duas gerações que se sucedem. Pela natureza das disposições morais, porém, sobretudo das disposições intuitivas e inatas, torna-se fácil distinguir a qual das duas pertence cada indivíduo.

Cabendo-lhe fundar a era do progresso moral, a nova geração se distingue por inteligência e razão geralmente precoces, juntas ao sentimento inato do bem e as crenças espiritualistas, o que constituiu sinal indubitável de certo grau de adiantamento anterior. Não se comporá exclusivamente de Espíritos eminentemente superiores, mas dos que, já tendo progredido, se acham predispostos a assimilar todas as ideias progressistas e aptas a secundar o movimento de regeneração (...)”?

Por que será que: kardec, citou... as crenças espiritualistas, ao invés de... crenças espiritas?

Como eu posso ocultar ou sonegar, estas informações de meus irmãos Espirituais?

Termino afirmando que jamais farei isso. Beijos de Luz no seu caminhar. Namastê. Dilmar Dutra e Marlene Chaves.