“PRINCÍPIOS BÁSICOS DE A INICIAÇÃO PARA ALCANÇAR A ILUMINAÇÃO PELA PRÓPRIA LIBERTAÇÃO DE DOGMAS EXISTENCIAIS, MITOMANIAS E MITOLOGIAS HUMANAS”.


Imprimir

Postado em 09 de fevereiro de 2013.

Por Dilmar Dutra – Biomédium Brasileiro REVELA:
Condições para iniciação na Escola de Mistérios Espirituais do Olho de Hórus.

As Escolhas Pessoais e Arbitrais dos Iniciados nas Escolas de Mistérios Espirituais do Olho de Hórus em SAQQARA no Egito. Passava pela seleção de seus princípios, cujos perfis de cada um, precisavam reunir o máximo de virtudes observadas no próprio iniciado, ao reunir a partir de si mesmo, a opção de conduzir-se pelo sistema de totalidades integradas, nunca em detrimento de uma decisão reducionista de paradigmas isolados! Assim: O iniciado selecionado seria o único responsável por sua escolha e tomada de Decisão, não podendo atribuir injustiça, por esta ou por aquela escolha.

Eram necessários os seguintes requisitos:

 Ter Disciplina, Ter Convicção de que Pretende Alcançar a Iluminação e a Libertação e usar o MEDO, só diante de sua Salvação Existencial, como auxiliar do AMOR, ao compreender a presa que foge do predador. Ter respeito por tudo e por Todos, Ter AMOR por si mesmo e pelo próximo, Ter Fé acima de si mesmo, mostrando confiança no “TODO”.

Ser Paciente, Ser Tolerante, Ser abnegado, Ser humilde, Ser melhor a cada dia do amanhã, Ser Educador para Educar em igualitariedade. Ser manso, Ser um divulgador da Fé para sua própria autorreparação social, moral e psíquica, ser líder de si mesmo.

Priorizar a essência psíquica espiritual holográfica, (chamada de Espiritólogia), que se manifestava sobre a existência almática de vida e morte, usando a essência do pensamento, numa perfeita sintonia com a existência da visão, da audição, do olfato, do tato e do paladar da cognição e percepção.

Compreender que a salvação é almática e arbitral, própria da existência. E  a libertação é espiritual própria das essência.

O MEDO é quântico; é almático e possui dualidade e polaridade, entre os contraditórios de opostos: como carência e excesso.

O AMOR é Taquiônico e neutro, é imparcial é o ELO entre a essência e a existência, liberta pela “Consciência Espiritual” uma fragmentação em partículas da MENTE PSIQUE ESPÍRITO, contida no Campo para interagir com os Corpos dentro do TODO pela Ordem no Caos, que é representada no meio da carência e do excesso, como uma balança que estabelece o equilíbrio e a harmonia.

“O Sacerdote do TODO” “Imhotep”, que os Gregos chamavam de “Esculápio”, “Asplégios”, “Mercúrio”, ou ainda: “Hermes Trismegisto” foi quem criou a Escola, as regras e disciplinas recebendo-as por revelação mediúnica, assim como, o caduceu que ostentam todos os anéis de Médicos e Dentistas.

“Imhotep” foi o verdadeiro descobridor da Medicina, bem como, da homeopatia e seus ensinamentos foram levados para Grécia a mando de Ptolomeu o General de Alexandre Magno que após a morte de Alexandre Magno – O Grande. Autonomeou-se o Faraó Ptolomeu I, terminando Alexandria, projeto de Heron a mando de Alexandre.

Um afetuoso abraço e beijos de luz nos corações e cérebros simbióticos iluminados pela Mente Psique Espirito Maior, ou “DEUS” – Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos.