,

“Reflexão para o hoje”


Imprimir



Por Dilmar Dutra – Biomédium Escritor Científico e Espiritual – Um facilitador e pacificador a serviço da humanidade.

Fonte: Interações entre as Consciências Espirituais de Jesus Cristo - descorporificada, e de Dilmar Dutra - corporificada, em cognição transcendental e mediúnica intuitiva.

“Jesus Cristo” diz que a intervenção dessas consciências tem por objetivo revelar, que as consciências ou espíritos, estão interagindo com as manifestações dos efeitos inteligentes, que se comunicam pelas percepções físicas, memorizadas por códigos inseridos nas matrizes Divinas Celulares e Moleculares de almas viventes da existência, como receptoras dos corpos, que estão contidos no Campo da Essência Inteligente, ou Campo de Influência, que se desprendeu do “TODO” para interagir com “TUDO” na condição de reflexo de nosso próprio, EU SOU, pensamento holográfico e subjetivo, fragmentado em partículas subjetivas não locais, sem corpo, peso e massa, que interagem com os corpos físicos, com peso e massa.

A informação coerente vem para fixar na memória atômica, morfo ou morfogenética, de todos os sistemas vivos, assistidos pelas Consciências Espirituais que fazem os registros Akáshicos trazidos de forma subjetiva do TODO de maneira subatômica.

Assim! Ocorre às informações via interações das memórias subatômicas subjetivas da essência com as existências.

Uma Nota: A memória Atômica está como estocagem (dispensa) ou subsistência proteica, guardada na condição inorgânica sem vida, e filogenética pelo consorcio: inorgânico/orgânico, com vida.

Na condição inorgânica (mórfica) aguarda que a forma proteica, seja diluída e catalisada, essa catalisação é processada pela usina morfogenética para canalização para os sistemas vivos, levando a informação memorizada para o sistema celular/molecular e assistidas pelas Consciências Espirituais.

TUDO na existência é assistido e dirigido pela Consciência Espiritual, ou seja, pelo “Espírito”, que em Consciência se desprende como fragmento do TODO “EU MENTE PSIQUE ESPÍRITO” ou “AQUELE QUE É ANTES DE TUDO EXISTIR” o “EU SOU” de cada um, para projetos pessoais e individualizados que na verdade é o ESPÌRITO EM AÇÂO ao interagir com a VIDA para assisti-la de modo transitório na base da rememoração.

Sem essas informações coerentes, a memória genética, num exercício dogmático, supersticioso, mitológico e de mitomanias, propicia sombras provocadas pela matéria, assim como, pelos espelhos de águas existentes nas células, as miragens reducionistas, provocadas pela luz num consorcio infravermelho e ultravioleta, assim como, os equívocos, doutrinários, catequeses, e conversões mirabolantes, onde a humanidade é conduzida, sem o respeito às diferenças e escolhas, com tomada de decisão intima e pessoal.

Nossa posição é a de unificação ecumênica, pelo respeito às diferenças, onde o amor é o único caminho, esteja o cidadão, onde estiver para fazer suas escolhas.

Sentindo-se bem, onde esteja por escolha, deve permanecer aonde escolheu. E todos, devemos respeitar a sua escolha.

O caminho em todas elas é único, É o “AMOR”.

E depois, JESUS CRISTO, afirma:

Quem não está contra o AMOR, está a nosso favor.

POR QUE “DEUS É AMOR”.

É incrível! Como a humanidade em nome de um “DEUS”, de paz, AMOR e misericórdia, pode sob essa luz, discriminar, excluir, difamar, separar com maledicências e intrigas.

O AMOR, afirma Jesus Cristo, não é um laço, ou um atributo dessas ou daquelas crenças de fé, ou de organizações religiosas.

O “AMOR” é o “ELO UNIVERSAL”, e seu código estas inserido como alimento/informação, da consciência ou espírito, em tudo que não tem vida, assim como tudo que têm vida.

O AMOR é o elo único de respeito às diferenças, e nele, não cabe o exercício do ódio, do confronto da violência, mostrando um DEUS punitivo.

Ele afirma que DEUS é AMOR. E só o AMOR pode pela morte fazer as consciências retornarem ao “TODO”.

Deixando tudo que tem nos corpos como alimento e memória, para num somatório, fazer a matéria evoluir.

A Consciência Espiritual, que interage com a vida, cessa na MORTE, quando a vida acaba e retorna ao “TODO” de onde se desprendeu como fragmento do “EU SOU AQUELE QUE É ANTES DE TUDO EXISTIR “DEUS”.

Beijos de luz nos cérebros e corações simbióticos. Namastê.

Dilmar Dutra e Marlene Chaves.