THOTHE ou THOT


Imprimir

Mensagem de 26. 11.2013.

Por Marlene Chaves

Fonte: “Manuscrito Minutado”, dos estudos do Biomédium Dilmar Dutra – Escritor científico e espiritual.

.-


Diante da impossibilidade, de fazer suas postagens habituais, por motivos de força maior e particular-(saúde).

Dilmar. Solicitou-me alimentar nosso site, com algumas matérias minutadas e selecionadas em seus arquivos, sob minha escolha. Resolvi aceitar.

E decidi falar sobre “THOTHE, ou THOT”.

Segundo Imhotep: (relata Dilmar, que Imhotep é um de seus mentores) que a sigla THOTHE, traduzida e simplificada, pelos escribas Macedônios (Gregos), foi alterada para THOT. Na época Ptolomaica, não havia como traduzir para o Grego as palavras Holográfico e Espiritual.

Observação: A origem da sigla vem do dialeto (NAACAL, rico em verbos, e pronomes, substantivos e adjetivos, como o Português) O Naacal, era um dialeto linguístico, ou Idioma, falado na antiga Atlântida. E a sigla “THOTHE” definia um “Sistema Inteligente e Divino Criador”. (Como a Causa Primária de Todas as Coisas de AMOR E PERFEIÇÃO), e Esta Sigla: Significava “Totalidade Holística de Ordem do Todo Holográfico Espiritual”, que virou pela tradução Grega, apenas “DEUS”, que, na horizontal lê-se “DIVINO ESPÍRITO ÚNICO SINGULAR”.

Oriundo e Incriado da singularidade como essência subjetiva, que não se pode ver, nem pegar, apenas sentir, como “TODO” Criador Único de informações que interage guardando e arquivando memórias Holográficas imateriais e Físicas corporificadas como morfos e morfogenéticas ao criar da Essência suas “almas viventes” na existência impermanentes e transitórias, por uma cadeia de presas e predadores, onde todos comem todos e todos se alimentam de todos, num contínuo de renovação de vidas como células e moléculas.

Que interagem com os fragmentos de “consciências espirituais”, resultantes de uma explosão singular para expandir-se e ocupar O TODO contido em si mesmo e interagir por memórias em todas as corporificações celulares e moleculares (Conhecidas na época, como partículas Taquiônicas ocultas aos olhos das Almas Células e moléculas), que apenas interagiam por memórias de prótons, passadas como alimento cognitivo, da não localidade do Campo de Influência Essencial para a localidade corporificada Existencial, que vai do nascimento, passa pelo crescimento alcança a idade adulta, onde, adultera-se de tudo e passa a iludir-se pelo EGO HUMANO, mesmo com a consciência a orientá-lo e dirigi-lo como parte fragmentada da “Mente Psique Espírito” por orientação equivocada nas iniciações mitológicas humanas.

Terminando (cessando) na MORTE que finaliza a VIDA, propiciando uma nova renovação de VIDA ao transferir via alimentação todas as memórias filos e filogenéticas hereditariamente e as memórias subjetivas serão transmitidas pelas interações de novas fragmentações de novas Consciências que se desprenderam do TODO para renovação total da VIDA, totalmente dependentes das MORTES como fatos: INVIOLÁVEIS E INEGOCIÁVEIS DA IMPERMANÊNCIA DA EXISTÊNCIA QUE SE RENOVA EM PERPETUAÇÕES CICLAIS.

Este sistema primevo cognitivo foi deturpado e alterado primeiro, por Dario “O Grande”, depois, por “Alexandre Magno” e se consagrou no Ocidente com Constantino, que juntou as igrejas do Oriente com as do Ocidente. 
Retirou Mitra do altar e colocou “Jesus Cristo” no seu lugar. Constantino fez justiça de forma Divina, por um sonho mediúnico, compreendido pelo: Biomédium, autor desta matéria. Definindo a chamada mediunidade como EXTERIORIZAÇÃO DO CONSCIENTE OBSERVADO “INTUÍDO” NO CAMPO DE INFLUÊNCIA ONDE SE ENCONTRAM TODAS AS INFORMAÇÕES CAPTADAS E MEMORIZADAS, assim, levado a cabo, em sua época, quando construiu “Constantinopla”, uma derivação do seu nome. Construindo também e a Basílica de São Pedro no Vaticano. 

Para possibilitar a mudança e agradar o Senado Romano, criou a Diocese dos Césares, como mantenedora da denominada Igreja Católica Apostólica Romana, ordenou por todo o Domínio Romano o fechamento de todas as Escolas Iniciática de Mistérios Espirituais, que pudessem em sua época, contrariar os dogmas romanos permitindo apenas os mitos Gregos (alguns). Fez ferrenha oposição a Escola de Mistérios Espirituais do Olho de Hórus, que epicamente funcionava nas cavernas do MAR MORTO, desalojando os iniciados, que se espalharam pelo Mundo sem uma localização exata, como fuga.
Foi o sistema cognitivo chamado de “THOTHE” implantado no Egito por “IMHOTEP” – rotulado pelos Gregos de “HERMES TRIMEGISTOS” o “Três Vezes Grande”, que originou toda noção espiritualista no mundo contemporâneo.

Inclusive a codificação Kardecquiana que aconteceu mais tarde, (muitos anos depois), ao examinarem os manuscritos que Napoleão Bonaparte confiscou ao desenterrar a Esfinge coberta de areia no Egito.

A França perdeu parte desse acervo (inclusive a pedra de “Roseta Rashid” pedra que foi redescoberta no delta do Nilo, no ano de 1799, por um soldado integrante da expedição Francesa ao Egito, essa pedra é um fragmento de grano diorito do Egito antigo, com escrita hieróglifos egípcios, sua inscrição registra um decreto promulgado em 196 a/c na cidade de “Mênfis”, em nome do rei Faraó Ptolomeu V, registrado em três parágrafos com mesmo texto em hieroglífica do Egípcio Antigo; em demótico variante escrita, do egípcio tardio, e o inferior grego antigo (pobre em verbo e pronomes). Essa Pedra Napoleão, perdeu para os ingleses na batalha Naval do rio Nilo. Hoje ela se encontra como acervo do Museu Britânico em Londres. (foto inicial).

Imhotep revelou por interações cognitivas de Consciências ao Biomédium em questão, ser é o verdadeiro Pai da Medicina, e sua esposa a alquimista e sacerdotisa “Meme”, a mãe da homeopatia e da Alquimia. Tudo isso era lecionado na Escola de Mistérios Espirituais do Olho de Hórus em “Saqqara” no Egito e depois na época de Jesus Cristo, nas cavernas do Mar Morto.

Lá se ensinava por iniciação de humanos a partir dos 13 anos sempre em casais os conhecimentos dos mistérios celestes chamados de espirituais da “Essência Taquiônica Divina”, aplicados aos humanos da “Existência Quântica”. Entre outras coisas ensinava-se Medicina, Cirurgias, Homeopatia, Geometria, (sólidos geométricos, que os gregos chamaram-nos de sólidos platônicos), (face Platão, haver ensinado na Grécia), astrologia, ciências integrais como filosofia, psicomenteologia, alquimia, ética e moral humana, e sociologia contemporânea, (estudo da sociedade ideal e egípcia, que  influenciou Tibetanos, Chineses, Indianos, Etíopes, Árabes, Muçulmanos, Judeus, Budistas, Zoroastristas e Cristãos).

Tudo isso, acrescido de matemática e línguas, como obrigações Iniciáticas, nos primeiros dois (2) anos. A popularidade de Imhotep cresceu muito e se espalhou pelo Mundo, recebendo outros nomes, como Esculápio, Asclépio e Mercúrio.

Hoje são lembrados: de uma forma simbólica, suas invenções chamadas de “CADUCEUS” ostenta anéis de muitas profissões: Medicina, Odontologia, escrivãs contábeis, etc.

Ele foi considerado pelas civilizações Planetárias, um dos maiores médiuns do Planeta. Ele sucedeu a Chiquitet Arelich Vomalites, San Germain, e outros. Assim como outros também os sucederam, como Buda, Moises, Jesus, Tereza de Ávila, Chico Xavier e muitos outros.

Imhotep! Afirmava aos seus alunos iniciados que “DEUS” é o Pai de todas as Ciências. O Criador Único, de Todas as Coisas Existenciais, relacionadas ao AMOR E A PERFEIÇÃO. Procurou registrá-las via hieróglifos na horizontal e na vertical em várias línguas idiomas sua real tradução apesar de saber que às vezes alguns idiomas não terem possíveis palavras, que pudessem manter a fidelidade original, mas que no idioma do Biomédium ele saberia traduzir do Naacal para o português, onde os 72 nomes de “DEUS”, se tornariam de fácil entendimento, pois se multiplicariam por 7 vezes, 70 vezes 700 vezes 7000 vezes. Exemplos: “DEUS”.

Na horizontal: “Divino Espírito Único Singular.”

Na vertical:

“D” = Diversidade; Divino; Direito; Deveres... etc.

“E” = Espécies; Espírito; Energias; Esperma; Esperança... etc.

“U” = Unicelularidade; Único; Universo, União...etc.

“S” =Singularidade; Simbiose; Sociedade; Saciedade... etc.


Imhotep, ainda disse pelas consciências cognitivas em comunicações mediúnicas, que DEUS escreve certo por linhas horizontais e verticais sejam binárias ou polares e deu como exemplo a correção no tempo de Egrégoras (Igrejas), ao usar “Constantino” para mudar Mitra (Deus da Mitologia Persa, adotado pelos Romanos) por “JESUS CRISTO”, e disse mais.

O Cristianismo só é reconhecido no Mundo, graças a Igreja Católica Apostólica Romana. Que só precisaria, também, se corrigir no tempo.

Agradeço a “Deus”; Jesus a espiritualidade e ao Dilmar Dutra, por haverem me proporcionado conhecê-los, e poder compartilhar esta mensagem com vocês.

Estou me sentindo útil, em poder ajudar, contribuindo num momento difícil de problemas de saúde, como foi acometido o Biomédium a quem represento neste instante, e que espero possa se recuperar muito em breve.

Amados amigos e familiares. Bjs de luz nos corações
Marlene Chaves