“DIA INTERNACIONAL DA MULHER”


Imprimir 

Postado em 08.03.2012.

Por Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Integral, Ecumênica, Universalista e Holística – Facilitador, Escritor Científico e Espiritual.

Fonte da Informação: Revelação Espiritual.

Dia Internacional da Mulher, simplificado pelos humanos numa referência reducionista, ao dedicar o dia 08.03 de cada ano, para cientificar a humanidade, adaptando-o como lembrança comemorativa ao princípio feminino “reduzido para mulheres da espécie humana”, numa referência de dar a luz, ou conceber para vida Almática Mortal, chamado de EVA, palavra que significa no dialeto NAACAL “MÃE”, falado na Antiga Atlântida, ou “conceber almas mortais”, sob interação simbiogênica a partir da divisão binária ao ápice da meiose, numa manifestação com o sentido de procriar sexualmente, numa doação de genes “que é a mesma coisa que doar semem pelo princípio masculino chamado ADÃO, ou “PAI”, ao princípio feminino “EVA” ou “MÃE. Esse dia era comemorado todos os dias na antiga “ATLÂNTIDA”, com uma prece que mais tarde deu origem a muitas outras. Que traduzida para o Português falado no Brasil sob revelação espiritual assim ficou:


PRECE AO PRINCÍPIO FEMININO do Continente Perdido chamado “ATLÂNTIDA”.


Oh! Divino, “Eu Mente Psique Espírito Eterno”, criador de suas almas mortais, vibrátis e diversas das espécies telúricas, distribuídas pelo Orbe, enaltecem diante da luz a vossa proteção segura.

Oh! Divino “Eu Mente Psique Espírito Eterno” que não nasce não vive, não morre e nem vai para a extinção, propicia a vida almática por nascimento vida morte e extinção de forma inteira e latente para estabelecer o equilíbrio ecológico das espécies, numa compreensão de que “todos, somos um”.

O “Eu Mente Psique Espírito Eterno” mostre-nos o ideal comum e sublime da evolução magnífica em graus de consciências dos seres, numa escala infinita de perpetuação dos nutrientes alimentares pela morte para sustentar a vida panenteísta, onde o caminho é a paz, iluminado pela luz, numa tomada de decisão arbitral, onde a escolha é livre, onde tudo vibra tudo ama, tudo vive na busca do alimento informação imaterial sem a morte, ou seja, a luz que trás a informação seja o alimento único no futuro, a água que sacia pelo útero intaquiônico, ou quântico” e os gases atmosféricos, de sistemas anaeróbios e aeróbios e toda cadeia almática alimentar, não necessite mais da morte para sobreviver. Seu poder, sua manifestação por abstração Espiritual tudo pode.

Assim seja para que as consciências evolutivas acompanhem a expansão do Metaverso Taquiônico.

Com estas explicações, ratifico a prece e agradeço as mulheres da minha espécie e os princípios femininos (EVA) de todas as espécies, numa interação com o princípio masculino (ADÃO) dos homens da minha espécie e dos princípios masculinos de todas as espécies, por todos os dias da minha vida, ao resgatar os ensinamentos milenares mais congruentes a minha mãe e a todas as mães de todas as espécies de seres celulares e moleculares, sem os quais hoje nos não poderiamos existir.

Um forte abraço e beijos nos corações iluminados.

Dilmar Dutra e Marlene Daltro, parceiros nos estudos livres e sócios no site www.dilmardutra.com.br – Visitem o site de nossa parceria www.joseeduardomattos.com.br