“IMORTALIDADE DE ALMAS”


Imprimir 




Dogmas, Mitologias e Mitomanias. Explica com maiores detalhes a: “IMORTALIDADE DE ALMAS”. UMA MITOLOGIA GREGA, LEVADA PELO GENERAL DE “ALEXANDRE O GRANDE”, CHAMADO PTOLOMEU, PARA SE INCORPORAR A CULTURA EGÍPCIA QUANDO SE ROTULOU DE FARAÓ PTOLOMEU I.

POSTADO EM 02.01.2013.

Por Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Ecumênica e Universalista. Escritor Científico e Espiritual a serviço da Humanidade.
Fonte Espiritual: A Consciência que não mais interage com o Corpo de Imhotep, hoje sem peso e massa, interage consorciadamente com a Consciência que esta interagindo com o Biomédium Dilmar Dutra.

Culturas mais antigas que a Egípcia e a Grega, que só tinham seus mitos para acreditar e justificar o que não podiam compreender. Criou a Imortalidade das Almas, condições contestadas na Escola de Mistérios Espirituais, a partir de SAQQARA no Egito, criada por Imhotep, que os Gregos chamaram de Hermes Trismegisto, que significa “O TRÊS VEZES GRANDE”, os Gregos também, o chamaram de Pai da Medicina, por haver descoberto a Homeopatia, manipulando agentes químicos e biológicos das plantas e ervas das espécies da Diversidade Planetária, também, construiu o Caduceu, que ostenta como símbolo da Saúde, todos os anéis de Médicos e Dentistas, mais tarde, foi chamado também, pelos Gregos de Mercúrio O Pai da Contabilidade.

Imhotep nos revela que a partir da Conquista do Egito por Alexandre Magno, chamado de O Grande, se espelhou em Dario, O Grande, e quiz seguir ampliando sua rota de conquistas de Países e Povos, pela força das batalhas – (guerras). Bem sucedido no Egito, Morreu aos 32 anos de idade, e foi substituído pelo seu General Ptolomeu, que se autonomeou “Faraó Ptolomeu I,” criando uma era Poder Ptolomaica, que resultou em 06 Faraós como nome de Ptolomeu e 07 Cleópatras. O general e Imperador Romano Júlio Cesar, também, conquistou o Egito, destituiu PTOLOMEU VI, e Nomeou Faraó, Cleópatra VII.

Retornando a era Ptolomaica, inicio de um marco de deturpações, interpretações equivocadas, adaptações das culturas Macedônias e Gregas, onde houve destaque para as Mitologias, e Instituições Canônicas e Religiosas, com objetivos de fazer dos humanos um representante de “DEUS” na Terra e investindo Ptolomeu I, seu primeiro representatnte e criador da indústria da Imortalidade das Almas e dos 10% de dízimos (impostos religiosos). Tornou-se, em sua época O SER HUMANO, mais importante em PODER E DECISÃO DOS MUNDOS OCIDENTAL E ORIENTAL, permitindo a criação no Egito, em (Alexandria), um espaço legalizado de todos os Templos Religiosos (de Religação das criaturas com o criador, como se eles estivessem desligados), desde que, tivessem o perfil Religioso e pagassem ao FARAÓ, uma licença para funcionarem livremente e legalmente, com direitos de conquistarem contribuintes, para financiarem a salvação das Almas pela Imortalidade. Mas o papiro com o Código que ensinava o religioso a enganar o DEMÔNIO, para que ele não comesse as suas Almas, só podia ser concedido por ele, como Sumo Sacerdote de Todos os Templos de Alexandria e de Povos e Terras conquistados.

A Mitologia GREGA, teve papel preponderante na elucubrativa IMORTALIDADE DE ALMAS, com a Mitologia de CRONOS. Você pode ver mais detalhes na matéria com o Título: “A origem Elucubrativa da Imortalidade das Almas, (células em sibiose com moléculas), como a base da Vida”, neste mesmo site, com um detalhamento da historia sobre CRONOS, que deu origem a consagração da incongruente Imortalidade. Confira também no Facebook ou aqui mesmo neste site www.dilmardutra.com.br

Imhotep nos afirma. Que outros fatos se somaram a esta incongruência, por ignorarem o significado de VIDA E DE MORTE.

Vida é tudo que se nutre da morte sob condições impermanentes e em ciclos trasitórios de Morte, que além de alimentar a vida em ciclo impermanente, significa alimento pronto para ser digerido e sua excretação é fertilizante e adubo, para sustentar a vida.

A INTERAÇÃO “MENTE PSIQUE ESPÍRITO” NÃO LOCAL, COM O “CORPO ALMÁTICO LOCAL”. Está no ELO entre VIDAMORTE, sinal possibilitado na língua Portuguesa, pela sua riqueza e proximidade verbal com o dialeto Naacal, falado na antiga Atrantida, o Continente desaparecido.

Dando prosseguimento, Imhotep. Narra, que fatos do passado, atribuídos por exemplo: A AKHENATON, além de muitos outros, e de outras culturas Terrenas, procuravam dar como salvação e uma Imortalidade e iluminação aos possuidores de CRÂNIOS GRANDES E ALONGADOS por desconhecerem o porque daquela diferênca craniana, A Maior prova de que isto é falso (equivoco), está nos achados arqueológicos. (Façam uma reflexão: “Por que então que eles morreram? Por que então que suas almas (moléculas diluídas dentro das células) morreram e foram comidas”? (Alongamento de cranios, são praticas humanas de culturas antigas, assim como Tribos Indiginas fazem crescer orelhas e lábios Inferiores da boca e adorna-los.
Na verdade a Consciência, não é um órgão da existência, não faz parte de nenhuma corporificação, não esta dentro de nenhum órgão, de nenhuma célula ou moilécula, que é uma fonte única, construída com códigos de regeneração, não é criada ou produzida pela matéria como órgão ou corpo, e nem pelo seu estado primevo de energia. A Consciência Espiritual, não tem uma localização exata no TODO, ELA se estende, se expande e se fragmenta, para capturar as partículas de informações, processa-as, usa as energias como matéria prima e é uma função da MENTE PSIQUE ESPÍRITO que cria dentro de si, como um CAMPO MORFOGENÉTICO EM EXPANSÃO INTERAGE, com todas as suas criações corporificadas locais e contidas como dissemos: dentro de si, de forma inorgânica e orgânica, para processar e armazenar em memoria filogenética ou em cérebros as informações, com objetivos de transformar e adaptar essa Cadeia Alimentar Almática impermanente. Condição estabelecida por códigos de vida e morte, justamente para que terminologias como imortalidade de Almas, ou seja, de alimentos, não seja interpretados com noções permanentes, impossibilitando ao processo de digestão e excreção seja interrompido como sustentáculo da VIDA COMO UM TODO.

A IMORTALIDADE DE ALMAS É UMA INCONGRUÊNCIA MITOLÓGICA, e esta na contramão da Criação Divina de Eternidade Infinita e Permanente, que usa a GEOMETRIA ESPIRITUAL E SAGRADA, condição HOLOGRÁFICA, que transcende as energias e matérias, pela sua própria construção, ou seja, pelos tijolos do Metaverso Taquiônico e seus Multiversos Quânticos contidos na “MENTE PSIQUE ESPÍRITO” que usa os chamados SÓLIDOS PLATÔNICOS, OU SÓLIDOS GEOMÉTRICOS, USANDO CUBOS, TETRAEDROS, OCTAEDROS, ICOSAEDROS, DODECAEDROS. Formadores de cristais da Física Quântica, considerando os tamanhos e cargas de íons, bem como, de outros elementos inorgânicos para a formação da flor da VIDA.

Espero haver facilitado a compreensão no uso simplório e coloquial de textos, que possam sobre reflexão, estabelecer um melhor entendimento dessa gotícula de conhecimento que sabemos, diante das ondas cósmicas dos Multiversos Quânticos, que não sabemos. O pouco que sei. procuro dividir gratuitamente com todos.

Um afetuoso abraço e beijos de luz nos cérebros e corações simbióticos locais, iluminados pela Mente Psique Espirito não local.

Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos.