“INVERSÃO BIPOLAR DOS POLOS MAGNÉTICOS DO PLANETA TERRA”


Imprimir 

Postado em 14.12.2009.
Autor: Dilmar Dutra - Médium Científico e Autodidata.

       Se focarmos a observação em todo Sistema Solar e principalmente nesse Planeta em que vivemos, constataremos que mudanças expressivas, e significativas, estão ocorrendo de maneira concreta no meio ambiente, se acompanhar os registros geológicos, arqueológicos, palenteológicos e as medições geológicas, que mostram a intensidade magnética de nosso planeta, fica evidenciado, que vem caindo, a referida intensidade magnética, ao se confrontar os registros de civilizações, como as Egípcias e Maias há mais de 4000 e 1500 anos atrás respectivamente, veremos que são ratificadas pelas medições do século XIX, que constataram um declínio significativo do magnetismo do Planeta, que perdeu 7% nos últimos 180 anos. E isto, é um fato que não pode ser questionado ou contestado pela comunidade científica.

      Quando compreendermos que estas questões relativas às mudanças magnéticas, provocam aquecimento, e que isso fica potencializado, quando a ação dos humanos interfere por todo meio ambiente, a coisa piora muito, e coloca em risco toda vida planetária e os humanos não são diferentes das outras espécies, apenas estão melhores adaptados e preparados. Sabemos da influência desses campos magnéticos nos seres vivos. Nas espécies que desenvolveram cérebros, e os cérebros disponibilizaram uma melhor capacitação em virtude de ser um compêndio de memória filogenética e podem detectar pelo efeito sinesteta, estas alterações eletromagnéticas com uma melhor percepção, face aos cérebros, estarem capacitados, também pela neuroplasticidade, enquanto as espécies sem cérebros contarem apenas com a plasticidade das memórias filogenéticas, entretanto, suas composições almáticas serem constituídas também de minúsculas partículas eletromagnéticas, pois suas ações interagirem principalmente com todos os sistemas nervosos de todas as espécies da diversidade animal, constituídas ou não, de cérebros. Esta condição é uma prova irrefutável sob a minha ótica, de que a consciência está no meio ambiente, ou seja, ela está no campo morfogenético, ou no campo de energias eletromagnéticas, ou ainda, no campo espiritual, contido no Campo Taquiônico ou Akáshico, isto porque os Espíritos são Energias creadas (fundidas), onde o “campo” interage e reveste os “corpos”, e isso pelo raciocínio, nos leva a seguinte conclusão. O campo eletromagnético do Planeta desempenha o principal papel da VIDA como um todo, desde a CRIAÇÃO ESPIRITUAL ETERNA até as materializações corporais e almáticas de transformação adaptação e extinção. O Campo Eletromagnético é constituído de Energia Taquiônica, ou seja, “Campo Eletromagnético” e “Amor” são constituídos das mesmas energias creadas (fundidas) é uno, em causa e efeito, é ecumênica, é o elo, é a Ordem que se estabelece no Caos. Se encontrarmos no Planeta a “Consciência Cristica” ela nos levará a procurar a neutralidade absoluta (o meio), que não deve ser confundido com zero (0), em casos de excesso ou de carência de força eletromagnética baixa ou alta.

      A neutralidade estará segundo a Espiritualidade nos “PORTAIS DIVINOS”, que irão se abrir nos locais, em que a chamada consciência Crística, conduzirá aqueles que a alcançarem. Estes Portais transcendem a letra grega “Omega” e encontram a chamada “cristogênese” ou todos os sistemas vivos desde as memórias filogenéticas até aos cérebros, serão conduzidos pela malha eletromagnética à consciência crística, onde a individualidade compreende o coletivo pelo AMOR, onde a adaptação, a transformação, leva todos os sistemas VIVOS para a noção Espiritual e com isso a sobrevivência se manifestará.

      Fora desta noção de espiritualização pelo AMOR a MORTE se manifestará. O livre arbítrio poderá conduzir todos aqueles que se espiritualizarem a sobrevivência para manutenção da VIDA no Planeta.

Um beijo no coração e muita Paz.

Dilmar Dutra Médium Científico