“LAR” (Lealdade, Abnegação e Respeito)


Imprimir


Postado em 21 de julho de 2009.
Por Marlene Daltro

 

LEALDADE: Ser fiel, ser leal aos princípios do núcleo familiar.

ABNEGAÇÃO: Evoluir de si mesmo para toda a Criação.

RESPEITO: Entender a igualitariedade, entre todas as Criaturas do Criador; entender o “Medo” como parceiro do “Amor”; entender o “Amor” como “Elo Ecumênico” que se manifesta pelo próprio “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL”, exclusivamente pela decisão arbitral.

Comentário da colunista:

     Abnegação para mim é a evolução do “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPÍRITO” (que não tem uma localização exata no meio ambiente do “TODO COSMO”). O ato de abnegar se manifesta em sucessivas fases de iluminação e tudo começa pela natureza corpórea. Os instintos prevalecem, e tudo gira em torno de si (tudo eu) período do egoísmo. O eu é a própria preponderância.

     Como a inteligência é inerente ao “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPÍRITO”, ocorre à evolução independente da matéria, que só se transforma, se adapta, morre e quando falece o RNA e o DNA, vai para a extinção. O “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPÍRITO” inteligente se desenvolve na eternidade, vivenciando, observando, vê a vida sob o prisma material passar e não significa nada em importância, a não ser sua própria nutrição, representada pela “Cadeia Alimentar Almática”, vem à compreensão compensatória, ao deslumbrar os conflitos morais, ao ver o registro iluminado das “LEIS MORAIS DIVINAS” no “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPIRITO”, vê a razão quando prevalece e manifesta-se fortemente a realidade concreta do “EU MENTE CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL”, que não se admitia antes, porque não se poderia ver, não poderia pegar, e não reconheceria o que se podia sentir, mas agora, nesta fase, manifesta-se a sensibilidade da realidade local, em perfeita sintonia com a realidade não local, a consciência do que está dentro, é a mesma da que está fora.

     À medida que a percepção toma a criatura, ela busca começar a ser aspirada, buscada e realizada, como afetividades, solidariedades, fraternidades, respeitabilidades, igualdades, possibilidades e probabilidades, tudo isso, basicamente entre todos os sistemas vitais, ou Criaturas do Criador.

     “O fogo das almas grupo”, se apagam, e a luz espiritual, eterna, emergente e infinita, assume arbitralmente o poder da onipotência, ou “Elo Divino Amor”, neutro, imparcial, justo, equilibrado e harmonioso. A plenitude de sentir totalmente vibrando O AMOR, que sempre esteve dentro de nós e de vós, bem como de toda a criação para manifestar a gratidão.

     Isto é abnegação (resgate etimológico Naacal, língua falada na antiga Atlântida).

     Para reflexão: As lágrimas devem molhar somente a saudade do que foi bom, mas o bom! Só é bom, enquanto dura. (Palavras de meu amado e saudoso pai José R. Chaves).

Um beijo no coração de todos e muita Paz.

Marlene Chaves Daltro Santos


Voltar