“MEMÉTICA – INVASÃO DAS MENTES”


Imprimir 

 

Parte II

Postado em 10.10.2010

Fonte espiritual: “O Eu Mente Consciência Imhotep” e o “Eu Mente Consciência Meme” Sacerdotisa Alquimista do Olho Mediúnico de Hórus e esposa de “Imhotep”.

Por: Dilmar Dutra- médium autodidata científico.

No Egito antigo, anterior a Dário e a Alexandre, precisamente no ano 2.680 A/C - Quando Imhotep tomou como terceira esposa a alquimista e sacerdotisa do Templo Mediúnico do Olho Hórus “Meme”, tendo com ela 06 (seis filhos).

A consciência do Eu Mente Espírito que interagiu com seu primogênito é a mesma que interage hoje, com esse que vós revelais isso, com a identidade civil de Dilmar Dutra – Médium Autodidata Científico e que no uso de desdobramentos e dobras, relata e registra tudo neste site.

A idéia e conceito de “Deus Mãe” ou do princípio feminino como útero fertilizado, têm como bolsa uterina telúrica, sua fertilidade e fecundação, regulada pela Lua, num espaço de 28 dias como ciclo regulatório.

A Sacerdotisa que representava o ciclo da fertilidade humana chamava-se “IASET” ou “ISIS” irmã de “OSIRES”, de “RÁSET” e de “SET” – “IASET” era a Sacerdotisa do Templo da Feminilidade e da Beleza Humana, sua ação regulatória vinha com o Satélite PLANETÁRIO-(LUA) como regulador ciclal dos oceanos, mares, lagos, rios. Etc. Aonde o Rio Nilo, davam-lhes, todos os nascimentos para servir de alimentos na cadeia Almática Retroalimentar, totalmente criada e dirigida pelo “Eu Mente Espírito Consciência” que incorporava-se, numa relação do “Campo Eterno Mente Espiritual”, ou “Campo Taquiônico” com o Corpo Quântico Almático, transitório de transformação adaptação e extinção. Para que todos pudessem aprender essas questões, todos os dias no amanhecer Solar “Sol”, que representava o “Esperma Divino” que fecundava os “Óvulos Almáticos” depositados nos Úteros Quânticos de Molécula Mãe - (AGUAS), essa noção definida psicologicamente, como ação do “Eu Mente Espírito Consciência”. Era mostrado pelo ritual, onde as Sacerdotisas “IASET” e “MEME”, através de uma ritualística matinal diária, mostravam, pela expressão corporal da dança, imitando o movimento das marés, como influência da Lua, nos úteros internos, particularizados de todos os animais. O ritual começava com cânticos, narrando o processo desempenhado pelo corpo, com movimentos frenéticos do ventre, numa proporção de igualitariedade, entre os úteros telúricos e almáticos dos animais, com o útero Quântico Planetário, ou seja, a relação útero quântico Planetário (oceanos, mares, lagos) era o mesmo com o útero humano onde o período ciclal, era o mesmo, de 28 dias, usavam um véu para cantar (narrar) esses ensinamentos, cobrindo todo o corpo.

A medida que a representação ocorria, jogavam fora o véu, para que a revelação fosse descortinada, e seus corpos nus, pudessem mostrar a fertilidade, numa simbologia, aonde a “Psique do Eu Mente Espírito” através da consciência, interagia com os corpos, e revelava, quando o véu era descartado com a transparência o mistério oculto, diante da luz e sabedoria do amanhecer solar. A primeira Sacerdotisa da Feminilidade e Beleza Humana, a se apresentar era “IASET”. A segunda Sacerdotisa Representava Feminilidade e Beleza Telúrica (do Planeta) era “MEME”, a 3ª Esposa do Sumo Sacerdote IMHOTEP da Escola de Mistérios do Olho de Horus. “MEME” era a Sacerdotisa do Templo Espiritual e Mediúnico do Olho de Hórus. “Meme” (A Alquimista), que definiu o primeiro processo de vida a partir da ocultação de seres quase invisíveis que chamou de “ARCHAEIDAE”, seres que não podiam ser vistos por olhos humanos, mas que ela os via pelo Olho de Hórus, num tempo em que, não existiam microscópios. O Olho de Hórus Mediúnico Espiritual Sensitivo e Transcendental revelava para as ciências integrais, chamadas Ciências Naturais, na sua contemporaneidade, aonde se observou o mundo invisível e primevo da vida. No laboratório da alquimista e sacerdotisa “MEME” que era nos subterrâneos das áreas vulcânicas, aonde se cultivava nas ebulições e fermentações, a maneira anaeróbica em terreno inóspito para a vida humana, que era observada pelo Olho de Horus todas as transformações e adaptações e se chegava às formas de vida aeróbicas. As Revelações Mediúnicas Espirituais foi quem deu no passado as direções para as ciências e continua a dar até hoje, direção a todas as ciências integrais, por revelações mediúnicas numa contribuição de integração perfeita. A espiritualidade revela. As ciências integrais confirmam ou não. O que tem coerência, pertinência, lógica, e princípio primevo, é reconhecido como verdade e, ocupam lugares antes dogmatizados e consagrados. Têm sido assim, ao longo da história de vida de nosso Planeta.

O que “MEME” mostrava através de seus ensinamentos, era que a “Mente Psíquica” é quem dirigia tudo, de um “Campo Imenso”, desde o Metaverso, manifestando em tudo e em todos os sistemas vivos um tipo de consciência, a partir das “ARCHAEIDAES” (células procarióticas, chamadas hoje de bactérias) e essa psique consciente, interagiam e se incorporavam, por filamentos protéicos interagindo no “Gene” e em todas as membranas, que representa a menor partícula da matéria biológica do consórcio inorgânico x orgânico. Ou seja, a MENTE como evento extrafísico de um Campo de Informação e Inteligência. Interagiu, interage e interagirá como força primeva na formação de todos os sistemas vivos se infiltrando por incorporação parcial em grau em todas as espécies da diversidade planetária, controlando e dirigindo a matéria criada pela Lei Divina Singular.

Energia e matéria, ou Espírito e Almas ou Almas-grupo, não podem caminhar separadamente. Porque a mente é anterior aos cérebros. A “Mente” sempre existiu. Já os cérebros, chegaram com as espécies animais a poucos milhões de anos neste Planeta, de forma tardia, para melhorar a capacidade celular.

A inteiração da mente como um Campo de Informação e Inteligência com os Corpos Almáticos, unicelulares ou multicelulares. É o principio primevo (básico) da vida celular.

Isto você só conclui, quando se estuda de forma profunda a mente oculta, de todos os sistemas vivos e não apenas a interrelação mente e cérebros de muitos animais e dos seres humanos. (Imhotep, Meme, Dilmar Dutra, José Eduardo de Mattos). Iremos dar continuidade com a parte III, aonde abordaremos a questão que originou através do nome “MEME” a proposta da Ciência, chamada de “MEMÉTICA – INVASÃO DAS MENTES” que no nosso entender, está apenas, parcialmente correta em relação a matéria, porque a verdadeira colocação de “MEME” e a relação entre o “EU MENTE ESPÍRITO” pela incorporação de consciência com a matéria Almática, seja, unicelular ou multicelular, A Mente é Energia Espiritual. A matéria biológica é um Plasma, com capacidade cognitiva de escolha, de capturar no meio ambiente arbitralmente, o que deseja e precisa, para se adaptar ao meio, transformar e levar a para a extinção, substituindo sempre, o corpo que acha necessário a nova realidade de vida. É a Mente, que dirige tudo de um lugar não localizado no Campo Mórfico e não os Cérebros. Mais de 3/4º dos sistemas vivos, não têm cérebros, mas interagem com a MENTE é impossível uma invasão da Mente porque ela é Extrafísica e a matéria biológica microbiana, não teria essa capacidade, face, a Mente ser a CAUSA e, a matéria ser o EFEITO de uma condensação de Energia. Existe Causa sem efeito, mais não existe efeito sem Causa.

Continuará com a parte III.

Beijos no coração de todos

Dilmar Dutra e Marlene Daltro