A NEUROPLASTICIDADE MORFOLÓGICA


Imprimir 

PARTE 6
Postado em 16 de outubro de 2009

                                           “OS ANIMAIS”

     As manifestações mentais dos animais não humanos e dos animais humanos são igualmente idênticas, as diferenças estão apenas no grau de ativações de Genes com habilidades mais complexas, mas compartilhamos com algumas espécies, em 99% do DNAs código herdado de nossos ancestrais comuns e primevos que são as bactérias. Aliás! Bactérias são vidas e consequentemente suas proles também, por que são células almáticas construídas pelos espíritos.

     {O espírito: Lao-Tsé – “Chinês” e confrade de Imhotep, fez a seguinte colocação em comunicação mediúnica com o médium em questão}.

     “As almas não tem segredos, que o comportamento de suas células não revele, são constituídas de fluidos vitais, se extinguem com o fogo”.

     {Os espíritos se despojam das encarnações almáticas e voltam a ser o que sempre foram: Fusões de energias eternas que se nutrem dos fluidos vitais “almas” e “almas-grupo”}.

     Obs.: Cada “alma” ou “almas-grupo” representam vidas unicelulares e multicelulares pela ordem, e sua cognição, de acordo com sua espécie, reconhece sua ignorância diante do Micro, e diante do Macro, ao compreenderem a revelação observada, como sua mais profunda sapiência.

      Ao observar que todos os animais são capazes, não só os humanos, de adquirir linguagem própria, de fazer escolhas (livre-arbítrio), produzir e sentir a música, ter medo, ter amor e amar, sentir empatia, perceber e passar ensinamentos. Algumas espécies marcam inteligentemente seu território pela sua própria urina, vejam! A única diferença para com a espécie humana está apenas em menos de 1% que parece pouco. Esse pouco representa toda diversidade conhecida, isto mostra que todas as atividades de código genéticos da diversidade, geram os bacteriófagos (filhos resultantes do sexo biológico das bactérias com os vírus de forma diversificada com códigos ativados para o sistema retro-alimentar da cadeia de presas e predadores que está em franca criação e surge cada vez mais, em numero maior adaptados ao meio ambiente apropriado), razão: A partir das bactérias que evoluíram em consciência e se transformaram em tamanho capaz de praticarem engolfamento canibal, comendo da sua própria espécie, diante da fome em situação extremada. Daí, muito tempo se passou, até que pela observação e cognição passaram ao engolfamento sem digerir o seu semelhante. A cognição da memória filogenética percebeu que sua multiplicação teria uma maior produtividade de replicação usando a engenharia genética, cruzando fontes desassimiladas e criando uma cadeia creada (fundida) do RNA e do DNA, ou simplesmente DNAs, com códigos que seriam ativados na criação e desativados na extinção. As transformações e adaptações genéticas são muito mais comuns no mundo microbiano, do que se possa pensar, os atributos são emergentes, selecionados e dirigidos pelo “Eu mente espírito”, sem uma localização exata no meio ambiente, ele apenas interage e reveste as unidades atômicas de “fluidos vitais” ou “almas da unicelularidade” ou de “almas-grupo da multicelularidade”. Esta inteiração é que estabelece a “Consciência”, medidas em graus por dispositivos do fenótipo do código “RDNAs” ativado (em vida) ou desativado (já extinto) em virtude de o mantido ativado (em vida) transformar-se e adaptar-se aumentando a cadeia retro-alimentar almática de presas e predadores.

     Os humanos não só se desenvolveram, houve perda de alguns sentidos e aquisição de outros. Exemplo: houve perda na percepção anímica, houve ganho na capacidade de cognição, mas a herança anímica não foi por completo desativada, somos ainda, apesar do cérebro, um compêndio de memórias filogenéticas, mas todos somos médiuns, as magnetitas podem ainda nos conduzir aos pólos pela chamada intuição porque estamos interconectados com as malhas eletromagnéticas Cósmicas e Telúricas.

     Evidentemente que os materialistas não são capazes de definir os sentimentos como manifestação real, porque não admitem o medo e o amor, apesar de senti-los e não conseguem se olhar (ver) totalmente, não percebendo que o cérebro é apenas um dispositivo de memória genética, um compêndio do engolfamento bacteriano, onde fundiu-se em um local adaptado para armazenar os dados compilados do compêndio das memórias filogenéticas. Não são capazes de perceber nada (bloqueio parcial) por excesso ou por carência de oxigênio no próprio cérebro, e com isso só conseguem perceber o que está iluminado pela luz.

     Quando o cérebro alimenta-se apenas de Amor (energia taquiônica) somos capazes de desdobrar (viajar ao passado) ou dobrar (viajar ao futuro) .

     – Este fenômeno de percepção anímica não tem uma localização exata, não se encontra no cérebro e nem nas memórias filogenéticas das membranas, está na capacidade de intercomunicação, numa velocidade de 27 vezes a velocidade da luz ou (igual a velocidade da expansão, ou seja, da energia escura ou oculta).

      O que os materialistas ainda não são capazes de entender. Entender que matéria e energias é a mesma coisa, em estados diferentes.

     Espírito e matéria é a mesma coisa, em estados diferentes.

     Estas interconexões estão em tudo, desde os microtubulos dos citoesqueletos a unidade atômica estar constituída e acabada, é a manifestação da vida, seja de material orgânico ou inorgânico e com certeza estabelecem comunicações cognitivas desde o espaço intermediário das memórias filogenéticas, como também, desde os dois hemisférios dos cérebros. A energia taquiônica (Amor) que harmoniza e equilibra tudo, se manifesta como causa, produzindo um efeito hereditário chamado sinesteta e, estabelece uma potencialização nas percepções ao transcender para o outro aspecto da matéria.

     Se faltar oxigênio, ou ele diminuir por motivos diversos, (vou citar o pior que é o hábito de fumar entre outros). Outra energia oposta, se manifesta pelo sentimento, ou seja, a energia Intaquiônica ou Quântica (medo), que na carência ou no excesso, leva ao desequilíbrio e a desarmonia. Isto gera entre outras coisas, como na carência depressão e distúrbio bipolar e no excesso, demências em diversos graus, todo tipo de fanatismos e conservadorismos incongruentes, religiosos ou não, e que a ciência chama esquizofrenia ou elucubração. É na verdade falta de oxigenação nos espaços da memória filogênica, ou entre os hemisférios dos cérebros, e com isso, a herança Sinesteta, - (Experiências de varias sensações, quando em confronto com o mesmo estímulo. É uma relação subjetiva que estabelece espontaneamente entre uma percepção e outra de um sentido diferente, ou seja, por uma percepção (sentido) pode-se determinar por um perfume uma cor, ou ainda, por um som determinar uma imagem etc. etc. “Para o Médium: Somos todos Sinestetas”). Esta herança bacteriana é confundida e em alguns casos, onde imagina-se que produz uma confusão e desordem na cognição que passa a deturpar a normalidade objetivada, perdendo uma percepção exata.

    A medicina vê desse jeito.

    O espírita vê como obsessão.

    E nós vemos pelo aspecto das ciências integrais em perfeita sintonia com a espiritualidade integral, que sente observa e vê: Que para ganhar conhecimento, temos de adicionar novas percepções todos os dias e para ganhar iluminação precisamos expandir a consciência do EU MENTE ESPÍRITO. Para nós “Espiritualistas Integrais e Científicos”, o importante da iluminação é não saber as respostas e sim compreender as perguntas.

     A Energia Intaquiônica, causa e produz todas as enfermidades produzindo também infelicidade.

     A Energia Taquiônica, cura, sana e produz felicidade.

     Se você alimenta o pensamento com o amor, você encontra o caminho paz e felicidade.

     Se você alimenta o pensamento com o MEDO, você encontra o inferno, a disputa, as querelas, as obsessões a guerrilha doméstica e a infelicidade.

    Meu conselho nestes casos é perpetuar o AMOR em nossos pensamentos e afastar-se de pensamentos e leituras que alimentem as Obsessões.

Ir para a parte 7

Um forte abraço e um beijo no coração
“Dilmar Dutra Autodidata e Médium Cientifico”.