“O DESAFIO DA EXPLICAÇÃO”


Imprimir 

 


Postado em 09.11.2012.


Postado em 12.11.2012.
Autoria: Dilmar Dutra – Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Universalista e Holística. Escritor Científico e Espiritual a serviço das Totalidades Integradas, como facilitador, para compreendermos as novas informações complementares e atualizadíssimas, que em suas adaptabilidades representam a realidade da Nova Era.
Um grande amigo que prefere permanecer no anonimato, me desafiou, a explicar uma comprovação, onde eu afirmo que muitos termos dos vocabulários linguísticos das Civilizações Terrestres, estão equivocados. Para explicar isto, eu tenho de recorrer às chamadas “Ciências Integrais”, “Espiritualidade e Mediunidade”, pois as abordagens envolvem uma sintonia perfeita entre “Mente Psique Espírito” Revelações Espirituais via Mediunidade, Psicologia, Física, Química e Biologia, alem de todas as demais Ciências, como por exemplo, Geologia, Paleontologia, Arqueologia. Etc. E como eu sou um questionador a partir da observação e sensitivo nato, observei e observo, ao meu redor, onde faço as buscas iniciais e pelo bom senso e lógica Consciente, visando estabelecer o que considero verdade, em termos de vida, pelas minhas próprias observações, internas corporificadas e externas espiritualizadas, com base no meio ambiente, ao me reconhecer como parte contida nele, ou dele, como minha própria constituição celular-molecular (almática). Isto porque, molécula significa Alma, seja, inserida simbioticamente na unicelularidade procariótica, ou na multicelularidade eucariótica, com que sinto e interajo, aprimorando uma condição melhor de sobrevivência. Todavia! Percebi que existem fatores externos a corporificarão e que são alheios a nossa vontade, e que nos trazem complicações por ignorância, dogmas e mitomanias humanas, além de enfermidades, mortes e podendo até nos levar a extinção.
Vou dar um exemplo desse fato, que ocorreu comigo. Ao adquirir “Cataratas” e ter uma visão prejudicada, busquei incessantemente uma explicação para esta condição patológica e percebi que após exposição por anos a fio ao sol, entre 10h e 14h do dia – Minha visão neste pico de horário ia se agravando, com uma sensação de perda parcial e progressiva.
Busquei os recursos da Medicina Convencional, que não tinha respostas que pudessem me convencer de que só a cirurgia poderia extirpar as Cataratas, mais que enquanto a taxa de glicose estivesse alta, eu não poderia ser operado, ou melhor, o Profissional da Medicina, não se arriscaria no procedimento cirúrgico. Eu de verdade, estava em busca do motivo pelo qual, fui acometido desta condição patológica. E foi num lampejo de abstração espiritual e pela Mediunidade, que busquei a resposta e fui aconselhado pelo Mentor, a buscar não só esta resposta como todas as respostas que eu desejava e que não se resumia só a isso. Eu tinha uma gama enorme de questões pendentes de respostas, que pudessem me convencer via compreensão, para poder aceitá-las. E o caminho indicado seria o caminho das Ciências Integrais, numa perfeita sintonia com a Espiritualidade Universalista, Ecumênica e Holística, que se manifestavam em “TOTALIDADES INTEGRADAS”. Racionalmente deduzi que realmente uma coisa isolada, seria reducionista, pois só poderia representar um fragmento muito insignificante, das noções de Física, Química e Biologia. Fui fundo nas pesquisas estudando todas as ideias, paradigmas e teorias humanas, passei a catalogá-las, compará-las, questioná-las e integrá-las, ao perceber uma relação de dependência, transformação adaptação e de complementabilidade incrível entre elas, quando nossa visão vai além da matéria quântica, ou seja, adentramos pela singularidade ao admitir e aceitar fatores primordiais que possam fundamentalmente nos dar, não um cenário de medidas quânticas, mais um cenário de medidas em graus codificadas pelo Metaverso Holográfico de dimensões Cósmica, pelas manifestações de bolhas de Multiversos contidos nesta condição de Totalidades Integradas e representada pela Mente Maior Psique Espírito, gerador em cada Explosão de partículas, ou seja, fragmentos das Consciências evolutivas para ocupação do NOVO TODO que se complementa infinitamente pela velocidade Taquiônica de expansão ou de pensamento.
A Física de um modo geral é organizada a partir do princípio de Cauchy que serve como disciplina curricular reducionista e engessada para descrever o modo pelo qual se deve conduzir um certo numero de informações entre observação teoria e observação. O Modo quântico não permite que possamos medir algo, do qual não pudemos registrar, quaisquer tentativas, nesse sentido Almático, será frustrada. Agora! Quando se estabelece uma medida por GRAU, aí sim. Temos registros, face, desde a menor unidade de vida, que é a célula com moléculas almáticas poder recorrer a não localidade pela Parapsicologia, aonde os sensitivos humanos constituídos de células e moléculas, tenham a hereditariedade mediúnica das células possam trazer por Mensagens e Revelações e informações via interação da unidade atômica local, com a Consciência Espiritual não local, representada por uma partícula holográfica que chamamos de fragmento da “Mente Psique Espírito”, não local, ou seja, sem uma localização exata pelos Multiversos Quânticos contidos no TODO HOLÍSTICO DE ORDEM DE TOTALIDADES INTEGRADAS, Sistema Milenar, conhecido como Criador do Universo pela sigla em NAACAL dialeto falado na Antiga Atlântida como “THOTI”
Como tudo começou comigo. Ao tomar conhecimento das informações registrada e guardadas com opiniões de vários Cientistas, mas que por ora, vou citar apenas o responsável pela influência e incentivo, na busca do que eu procurava e que não se resumia só nas minhas cataratas adquiridas, coisas que não são relevantes aos leigos, só aos profissionais da área de Saúde, ou pacientes que sofram dessa patologia adquirida pela radiação solar.
Eu imaginava inicialmente pelas noções de Física, que a pior ameaça que os Seres Vivos, poderiam enfrentar neste Planeta, seria os Raios Cósmicos. Quando comecei a perceber ao contrario, do que a maioria de opiniões científicas acreditava, comparando e analisando registros datados de 1912 do Físico Austríaco Dr. Victor Hess, bem como, de muitas outras opiniões em discussão mundo afora. Juntei tudo aos estudos do Dr. Hess, pela maneira como constatou e comprovou, do alto de um Balão, numa experiência, vivificada sob observação em loco, de efeito físico. “Portanto quântico”, a partir da subida do Balão as esferas mais altas. Quanto mais o Balão subia, mais rápida a carga se perdia, ou melhor, vazava de seu eletroscópio e concluiu, que a causa do ar ionizado, era para ele, algo misterioso que estava vindo do Espaço Cósmico, e não do solo Planetário. Daí a rotulação de “Raios Cósmicos”.
Registros de 1950 mostram que Físicos diversos, haviam constatado que o termo “RAIO CÓSMICO” era EQUIVOCADO e estava consagrado de modo humano, e que representava uma mitomania. Eu mesmo acreditava nisto e imaginava ser uma condição local do solo Planetário.
Primeira Nota: Esta narrativa de INTERAÇÃO deve ser aplicada a tudo que envolva vida, morte, extinção, energia e matéria. Conselho de IMHOTEP também conhecido pelos gregos como HERMES TRISMEGISTO (O três vezes grande) ou ESCULÁPIO, ou ainda, ASPLÉGIO.
Foi comprovado que esses raios cósmicos não eram “RAIOS”, e sim “ÍONS”, que colidem conosco continuamente nos atravessando, num consórcio, onde havia uma supremacia de PRÓTONS, com poucos núcleos mais pesados, num completo emaranhado, que quanto mais alto na atmosfera, esses ÍONS atingiam-na (atmosfera), com velocidades impermanente, hora na velocidade quase da luz, hora numa velocidade bem menor e que isto, indicava uma possibilidade, ainda não encontrada a época, ou seja, de uma velocidade maior que a velocidade da luz. Ao se levar em consideração a condição de velocidade no vácuo de expansão com a ausência do peso da massa, sem a condição quântica e sob condições Taquiônica. Ocultada dos humanos naquele ano de 1950 e nos anos subsequentes até a descoberta recente do “BÓSON DE HIGGS”. Comprovando a ideia que a massa é um processo dinâmico, consequência da INTERAÇÃO de um CAMPO SEM MASSA COM UM AGENTE EXTERNO. Na verdade, esta teoria tem mais de um século, é só agora veio a tona com grande alarde da imprensa, e que não tira de forma nenhuma o mérito do seu descobridor. E isto, me deixou extasiado, face comprovar nossas colocações da não localidade como forma de Agente Inteligente de plena Consciência, que o seu descobridor chama de a Partícula de DEUS e eu chamo de MENTE PSIQUÊ ESPÍRITO. Condição que deve mudar tudo, mostrando a partícula de DEUS, assim denominada pelo seu descobridor, mostrando a não localidade da “Consciência Espiritual” que a humanidade chama de ESPÍRITO, que é anterior à matéria e a energia e que posta massa em tudo de forma dirigida e codificada.
Segunda Nota: Estas colisões com os Seres vivos, e com o Planeta, são normais e podem ser benéficas ou maléficas, dependo da sua interação propiciada pelo volume de nossa atmosfera e não com a chamada malha eletromagnética que ciclalmente se inverte nos Polos e que já ocorreram milhares de vezes, sem que nós tivéssemos percebido.
Levando-se em conta, estas variações na intensidade da velocidade. É que está dando a alguns Cientistas a noção de totalidades Integradas, Universo holográfico e a não localidade interativa ainda, não compreendida por muitos, que tentam colocar a relatividade geral sob suspeição ignorando a inclusão e a impermanência que delega complementabilidade nos sistemas de Totalidades Integradas.
Em breve também, esta verdade será consagrada pela complementabilidade e nunca pela exclusão, negação e elucubração. Sistemas de exclusão ferem os códigos Divinos e contrariam o ELO codificado em todos os Sistemas Vivos celulares moleculares que não podemos ver ou tocar, apenas sentir, e ele se chama AMOR
Coisas assim, fora do AMOR ou de DEUS, por que DEUS É AMOR, podem estabelecer como estabeleceram no passado novos dogmas, novas mitomanias, como ficou engessada a noção de que o campo magnético da Terra, que protegia os sistemas vivos a partir do solo, onde ocorreriam as colisões impactando os equivocados “raios” no solo terrestres.
Na verdade não é o campo magnético terrestre, que favorece a proteção, mas sim o volume da atmosfera terrestre planetária. Vejam: Acima de cada centímetro quadrado de superfície. Cada 1 kg de Ar, em média no impacto próximo a Terra, é manifestados em prótons, que precisam percorrer uma coluna vertical, de aproximadamente 70 gramas, ou seja, cerca de 1\4 da distância, por toda atmosfera, até uma altitude de 20 km a 25 km, para alcançar e impactar o núcleo de um átomo de Ar. Pelo campo externo do átomo impactado, que atua por interação para absorver os estilhaços fragmentados em minúsculas, partículas a partir dessa colisão inicial. Esse impacto, libera do núcleo um ou dois prótons ou nêutrons e desencadeia uma chuva de raios gama de alta energia, junto com as partículas meson PI (pions), se propagando mais profundamente atmosfera adentro e vai produzir a impermanência de elétrons, pela correspondência da antimatéria ou seja, um pósitron.
Essas duas partículas se neutralizam (se aniquilam) mutuamente, gerando raios gama, menos energéticos, e assim, todas as células e moléculas, constituintes dos sistemas vivos corporificados, continuam vivos até que os raios gama se tornem fracos e possibilitem dar continuidade a sobrevivência Planetária.
Essas almas (ou seja, moléculas) sob efeitos com a colisão direta com um raio gama, será quebrada, fritada, e extinta, o que pode existir e existe, e a longevidade protegida pelo volume de nossa atmosfera terrestre, com uma exposição suavizada que pode provocar uns cem números de doenças ao fragilizar o sistema imunológico, destaco entre as enfermidades câncer (CA), cataratas, (meu caso) e danos nos cérebros e demais órgãos simbióticos. Penso que por esta explicação coisa que tenho certeza, o meu amigo Físico e Químico, irá entender e terá dissipado a sua dúvida, quando afirmamos que inúmeros termos, hoje consagrados pelas civilizações Planetárias, estão em equívocos e precisam ser adaptados as realidades do século XXI .
Exemplos de alguns:
Imortalidade de almas. Almas são moléculas mortais.
Incorporação espiritual, não pode existir nem por teoria como a menor possibilidade, devido o “Campo Espiritual” pela Física Divina, explodiria a condição corporificada, como uma bexiga de aniversário.
O que existe na verdade. É uma interação impermanente, da informação digerida pela consciência “fragmento, ou partícula”. da Mente Psique Espírito, que faz pela interação, surgir a fome que provoca a digestão – ingestão e excreção, dar ciência de entendimento e guardar dados, pela memória filogenética da célula, ou em sistemas simbióticos e multicelulares, (como animais que desenvolveram os cérebros simbióticos.)
Da mesma forma que as terminologias encarnações e reencarnações. Além de não haver permanência de corpos prontos para isso. O chamado espírito, “Que é um Campo Taquiônico ou Akáshico” implodiria o corpo.
É partindo do principio da impermanência como ferramenta espiritual de criação, que não cria fora de si. Mostramos com certeza, que são os corpos que se encontram inseridos no “Campo Espiritual Mental Psíquico”, onde sua presença é representada pela Não Localidade em condições corporificadas, a não ser sob condições de interação, via alimentação como combustível para sobrevivência ciclal impermanente de vida morte e extinção. Como pode ser comprovada pelos estudos, análises e conclusões dos registros humanos, evidenciados numa retrospectiva da vida no Planeta.
O Espírito, ou “Campo Psíquico Mental”, não é imortal, ele é eterno como “Mente Extrafísica”, não tem uma localização exata no Todo, ele é o Todo, ela nunca nasceu, morreu ou foi para extinção.
Finalizo afirmando que tudo nos Multiversos contidos no METAVERSO, funciona assim. Fonte: Consciência Espiritual que neste momento interage comigo num consórcio com grandes Cientistas corporificados sob, códigos almáticos de células e de moléculas, numa simbiose Divina.
Espero que com essas explicações lógicas, retirada de muitas Fontes Humanas, e Espirituais, sem as mitomanias humanas, dogmas e equívocos possam atender e dissipar as duvida do meu amigo que deseja permanecer no anonimato. Bem como, de todos aqueles que desejam ter uma resposta consensual de complementação.
Termino afirmando que não existe obra de um ser humano só. Os humanos não estão prontos. Portanto suas obras também, não podem estar prontas, ou petrificas e engessadas, ou ainda, imexíveis.
Uma informação sempre nos conduzirá a outras. E informação é obra Divina, e vem da crença de fé raciocinada no Deus - “Divino Espírito Único Simbiótico”.
Um afetuoso abraço e beijos de luz, nos corações, cérebros, e demais órgãos simbióticos corporificados e iluminados pela Mente Psique Espírito, não local, ou seja, sem uma localização exata no TODO.
Eis a resposta prometida que vai via Facebook e pelo nosso site.www.dilmardutra.com.br - Fonte consorciada estudos, pesquisas e revelações espirituais.
Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos.