“O FÓSFORO E SUA IMPORTÂNCIA PARA VIDA.”


Imprimir 

Postado em 30.08.2012.

Por: Dilmar Dutra, Biomédium Autodidata em Ciências Integrais e em Espiritualidade Ecumênica, Universalista e Holística. Escritor Espiritual e Cientifico um Facilitador e Complementador a Serviço da Vida.

Algumas Revelações Espirituais vinham tirando-me o sono, devido sua importância na manutenção da vida no Planeta. À medida que as abordagens Científicas vão elucidando e trazendo maiores esclarecimentos, coisa que é nossa intenção ao procurar dar Ciência à humanidade para trazer soluções viáveis e quando surge, um paradigma que propõe soluções, eu as publico neste espaço do Facebook, ou no meu site www.dilmardutra.com.br na verdade em ambos, ou ainda, pelo site www.joseeduardomattos.com.br que também, complementa sempre com novas informações.

Estudos recentes e atualizados do Professor adjunto e Diretor do Departamento de Engenharia Civil, Ambiental e Oceanográfica do Instituto de Tecnologia dos Estados Unidos Dr. David A. Vaccari que é Especialista em tratamento biológico de Águas residuais e modelagem dos efeitos da poluição nos rios e correntes. Coautor do livro “Environmental biology for engineers”. Que recomendo para os estudiosos no assunto. Mostram como os solos estão desnutridos e podem estar à beira de um colapso na Agricultura. E propõe uma ação Urgente Urgentíssima para conserva-lo e regenerá-lo. A coisa não para só por aí, e agrava-se em relação à química da vida, que tem uma interação de tudo e com todos os sistemas vivos. Á muito viemos resaltando a importância do ingrediente que nos parece, pelo que estudamos, ser insubstituível para a manutenção da vida, ou seja, o fósforo que comumente é representado pelo íon de fosfato PO 3./4-, consorciado com outros elementos como o nitrogênio e o potássio, que é uma produção de excrementos de origem microbianos e foram fossilizados a milhões e milhões de anos, como reservas Planetária, espalhadas pelos Continentes onde atuam os micróbios e esses excrementos inorgânicos e orgânicos, estão contidos na molécula de Trifosfato de Adenosina, ou ATP, principal forma de armazenamento de energia das células. Para que tenhamos uma ideia da importância dessa molécula em nós, e em toda vida celular, vamos dar um exemplo da quantidade dessa molécula num corpo humano comum, que é. De 650 gramas de fósforo, inserido especialmente em nossos ossos. Observação Importante: Todos os Ecossistemas utilizam e reutilizam o fósforo, em ciclos numa média de 46 vezes. Assim o mineral, por meio do intemperismo e do escoamento de água (Afirma o Professor David) chega ao oceano. A Espiritualidade nos diz que o solo, perdeu muito com a implantação deste sistema que substituiu o sistema de fossas terrestres, que repunham no solo, todos os nutrientes necessários a manutenção da vida.

Vamos continuar ressaltando a importância do fósforo nos sistemas vivos: Ele é parte da espinha dorsal do DNA e das membranas celulares (ATP) que é muito citada em nossas matérias e que repetimos sempre, massificando sua citação pela sua importância para manutenção da vida. Exemplo: Toda colheita interrompe o ciclo natural, porque remove o fósforo do solo. Continuando esta matéria aonde os Estudos do Professor David A. Vaccari, esclarece, complementa e melhora nossas informações, o Professor David esclarece que um adulto comum necessita de 1 (uma) grama de fósforo por dia.

Para sustentar a alimentação balanceada de uma pessoa, a agricultura requer a extração por mineração de 22,5 de rocha fosfática por ano.

Pelo menos a mesma quantidade de fósforo carregado pela erosão acaba nos alimentos. Segundo ele, na bacia do rio Iilinois, para cada quilo de milho produzido, cerca, de 1,2 kg de solo é deteriorado pela erosão.

Há 40 milhões de anos um afloramento de vegetais tendo o fósforo como nutriente extraiu dióxido de carbono suficiente da atmosfera para provocar uma era glacial. O fósforo suplementar veio de uma elevação no Himalaia, no planalto Tibetano.

É preciso restabelecer o Equilíbrio para o ciclo do Fósforo em caráter URGENTE URGENTÍSSIMO. E Isto pode ser feito por uma agricultura Integrada, onde os dejetos de animais, e partes não comestíveis das plantas podem se tornar de novo na decomposição fontes de fertilização.

Redução da erosão - atividades de baixo impacto, como plantio direto, ajudam a limitar a erosão do solo, deixando mais fósforo disponível para a próxima colheita. Pesquisas também podem ajudar os agricultores a usar fertilizantes de modo mais eficaz.

Eliminação do chumbo – Muitas Instalações hidráulicas antigas liberam chumbo e outros metais tóxicos na água encanada tornando os dejetos urbanos, líquidos e sólidos, perigosos para uso como fertilizantes. A remoção gradual desses metais facilitaria a reciclagem de resíduos e do fósforo que eles contêm.

Busca de Novas Fontes – Uma vez que o fósforo se torne escasso, os reajustes de preço estimularão as mineradoras a descobrir novas reservas e pesquisar outras formas de extrair o mineral de forma mais econômica.

E finalmente a reciclagem de resíduos – O fósforo da nossa alimentação passa pelas estações de tratamento e geralmente vai parar nos aterros sanitários. A reciclagem de resíduos urbanos pode fazer o contrário, devolver o fósforo e o nitrogênio que é outro componente fundamental dos fertilizantes para a terra.

Após as dicas do Professor David A. Vaccari. Encerro esta matéria, esperando haver dado uma contribuição para que possamos garantir uma agricultura que possa suprir as necessidades de sobrevivência da vida no Planeta TERRA.

Um forte abraço e beijos de luz nos corações iluminados pela Mente Psique Espírito.

Dilmar Dutra e Marlene Chaves Daltro Santos